Como lidar com a pornografia

Há sérias perdas em ver pornografia. Conheça algumas

Como Lidar - 08/08/2019 17h25

“Meu filho adolescente está viciado em pornografia. Já o vi escondido assistindo a filmes e vídeos do gênero. Ele só tem 15 anos e não sei como falar desse assunto com ele. Como lidar?”

Júlia F. – Nova iguaçu – Rio de Janeiro

RESPOSTA:

Olá! Para falar desse assunto com ele, é necessário que você aborde os perigos e prejuízos da pornografia, pois é quase certo que ele simplesmente os desconheça, acreditando que são apenas imagens estimulantes sexualmente e que não há nenhuma perda em consumir esse tipo de produto, apenas ganhos. Porém, isso não é verdade. Há sérias perdas em ver pornografia, eis algumas:

A pornografia é uma farsa: para quem vê, ela pode causar sensações de prazer. No entanto, não é raro, que os participantes das filmagens pornográficas atuem sob o efeito de drogas, ou de coerção a sua integridade física ou material; sem contar que muitos ali são vítimas de sequestro e tráfico de pessoas, que passaram por um processo longo e doloroso de cativeiro, abusos, estupros e vícios, contra a sua vontade, em alguma droga, como heroína ou cocaína. Há diversos depoimentos de ex-atrizes da indústria pornográfica comentando sobre estes bastidores escusos desse universo.

A pornografia deturpa o propósito real do sexo criado por Deus, pois o sexo é amável, enquanto a pornografia é violenta. Não é raro perceber que nessa prática há violência contra a mulher, onde elas são maltratadas física e verbalmente. O sexo é doce, enquanto que a pornografia é degradante. Com o passar do tempo, o indivíduo tende a aumentar a dose de pornografia e passa a normalizar atos que até pouco tempo poderiam lhe causar repulsa e que apresentam aspectos moralmente incorretos, como cenas de estupro, zoofilia, incesto, pedofilia, dentre outras. A natureza do sexo é altruísta, o foco deve ser o prazer do outro, enquanto que a pornografia é egoísta, porque o foco está no prazer próprio.

Muito provavelmente, seu filho consome a pornografia como combustível para a prática da masturbação. Se você crê que seu filho se encontra no estágio do vício, é recomendado levá-lo para um psicólogo(a) para que ele tenha um acompanhamento psicológico, e assim obtenha controle sobre a sua compulsão sexual, caso isso já esteja afetando outras áreas da sua vida, como o seu desempenho escolar e sua interação social.

Vale ressaltar que ele está na adolescência, onde há em seu organismo uma explosão de hormônios, então é normal ele precisar de ajuda para lidar com essa nova realidade de seu corpo. É importante que você dê todo o suporte ao seu filho e converse com ele abertamente sem perder o amor e o afeto, pois é isso o que ele mais precisa de você no momento.

 

Filipe Rezende é casado com Nathali, pastor batista e ministro de família da Primeira Igreja Batista em São João de Meriti, pós graduado em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Betel, e membro da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil.

 

COMO LIDAR tem o propósito de servir como ferramenta de esclarecimento e apoio aos leitores apresentando perguntas e respostas, sobre variados temas.

Se você tem alguma questão ou dúvida que precise da explicação de um profissional, envie para redacao@plenonews.com.br

 


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo