Leia também:
X Os novos avatares do Facebook pertencem ao diabo?

Organização faz bem para a alma!

O importante é que a disciplina diária leve você em pouco tempo ao hábito da organização

Bia Sartori - 09/10/2020 08h30

Para ter uma vida mais simples, é preciso dedicação. Identificar o que mais incomoda, tanto em nossos ambientes quanto em nosso interior. Nada como um sorriso de satisfação ao observar aquele canto que antes estava bagunçado, e que depois de um pouco de energia investida, está mais agradável. E cada vez que você faz um pouco, vai gerando satisfação, prazer, motivação para continuar, e organizar muda de categoria de atividade chata, para atividade que mostra que você tem domínio sobre a situação, despertando boas emoções e incentivo para desfrutar melhor qualidade de vida!

Existem metodologias que incentivam um trabalho pesado, de tirar tudo do lugar de uma vez e perseverar até que tudo esteja em seu devido lugar. Não existe metodologia certa ou errada. Existe o que funciona para você! Eu, particularmente prefiro ir devagar, e aos poucos, fazendo um pouco por vez, até que a meta seja cumprida!

Magda Veiga, personal organizer dá a dica: “Separe quinze minutos por dia, só para a manutenção da organização. Aquele tempo pode ser investido para organizar uma prateleira dentro de um armário, uma gaveta. O importante é que a disciplina diária leve você em pouco tempo ao hábito da organização. E você se livra da sensação que TUDO está em desordem!

Nesse tempo é importante deixar a mão uma lista de compras, onde tudo que precisa ser substituído ou adquirido vai ficando registrado. Essa atitude auxilia na economia doméstica, pois você só vai comprar aquilo que realmente precisa, deixando de acumular objetos desnecessários. E também, já separa aquelas peças que precisam de reparos ou vão para doação”.

Já ouvi falar de uma metáfora entre nossas atividades e um malabarista que fica com vários pratos girando e equilibrando…. É exatamente a mesma coisa: temos o prato das atividades do trabalho formal, o prato do cuidado com a família, o prato do descanso e de não fazer nada, o prato da limpeza diária, o prato da organização, o prato dos relacionamentos… E assim, seguimos, em um treino constante para não descuidar de nenhum deles.

Outra dica importante que a Magda nos dá é aproveitar mudanças de estação para revisar o interior dos armários. Ela diz: “ Há estatísticas que apontam que usamos somente 20% do nosso guarda roupa. Seja pela mudança no estilo pessoal, no tamanho, ou até mesmo pela quantidade de peças maior que o necessário. Esse descarte pode até triplicar o espaço útil”. Eu sou prova disso! Passei mais de vinte semanas do auge da pandemia do COVID-19, com uma mala com literalmente meia dúzia de camisetas, três vestidos, dois biquínis, duas calças de malha e um agasalho! E nem precisei de mais nada!

Hoje, vi um post no Instagram da Camila Diniz, consultora de moda e personal stylist, que já contribuiu aqui na coluna e também na live no PlenoNews, falando sobre roupas de ficar em casa. “Tudo bem para um modelo mais confortável, mas ninguém precisa ficar com camiseta de vereador, né?!? “ Achei o máximo, pois nunca gostei dessa ideia que se estou em casa fico de qualquer jeito. Tudo bem, estar descontraído, mas ninguém precisa ficar destruído! A mesma coisa vale para dormir!

E com a casa é a mesma coisa: não é porque as visitas não entram em certos cômodos da casa que precisamos deixar a coisa feia ou bagunçada. Facilita a limpeza, encontramos o que precisamos rapidamente. Organização, primeiro de tudo é uma atitude mental, de autocuidado. E nosso interior é a mesma coisa! Vamos nos beneficiar da organização sem neurose, introduzindo qualidade de vida a cada dia! E você? Como vê a organização: um mal necessário ou bem precioso!

 

Bia Sartori , designer de interiores formada pelo SENAC e pós-graduada pelo IPOG; personal organizer formada pela OZ!, pedagoga com especialização em Orientação Educacional pela PUCC.
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.