Todo começo de ano é a mesma coisa…

IPTU, IPVA, material escolar, matrículas... Saiba como organizar melhor as finanças no começo do ano

Anderson de Alcantara - 05/03/2019 11h08

A avalanche de boletos do início do ano Foto: Pixabay

Olá, caro leitor do Pleno.News! Como vai? Tudo bem?

Hoje, pleno feriado de terça-feira de carnaval, eu espero que você tenha tirado um destes dias para colocar em prática as dicas que eu dei na minha última coluna (clique aqui para ler) e curtido um delicioso churrasco com sua família/irmãos/amigos, gastando menos.

Amanhã a vida volta ao normal. Dizem que no Brasil o ano só começa depois do carnaval – o que é uma das muitas mentalidades nocivas de nossa sociedade, que só serve para nos manter no atraso e nos fazer continuar sendo um povo miserável – conforme eu mencionei lá atrás, na minha primeira coluna aqui no Pleno.News (clique aqui para ler). Mas, algumas coisas no Brasil são mais eficientes que os brasileiros; as CONTAS A PAGAR são um exemplo.

IPTU, IPVA, material escolar, matrículas, anuidades diversas… passadas as festas e as férias, a comilança e a euforia, o ano novo traz uma tonelada de contas logo em seu início. E, se você não se organizou direitinho, já deve estar novamente endividado a essa altura (ou mais do que já estava). Para sobreviver à avalanche de boletos dessa época, aqui vão algumas dicas para te tirar do sufoco:

  1. Desapegue-se!
    Todo mundo tem um monte de tralha que não usa, a maioria delas em boas condições. É bolsa velha, tênis que não serve mais, livros não usados, obras de arte que já não gostamos mais, móveis que perderam a serventia, etc. Por que não se livrar dessas coisas e, de quebra, ganhar espaço e dinheiro? Você pode baixar aplicativos de venda no seu celular que, com um cadastro simples e gratuito, lhe ajudarão a vender coisas que você tem em casa e levantar algum dinheiro. Apenas garanta que as coisas a serem vendidas estão realmente em boas condições de uso, ok?
  2. Encare um trabalho extra
    Trabalhar em bares e restaurantes no final de semana são uma alternativa para aumentar a renda. Dar uma forcinha a um amigo ou parente que tenha seu negócio próprio e reclama que está muito atarefado; encarar festas e eventos como freelancer de fotografia, cinegrafista, recepcionista, músico (se você sabe tocar um instrumento), etc. Você também pode usar suas habilidades para dar aulas particulares: ofereça cursos de Photoshop, bordado, culinária e outras habilidades úteis que muita gente gostaria de adquirir, presencialmente ou online.
  3. Parcele os gastos
    A maioria das contas de início de ano permite parcelamento. Quem tem dinheiro guardado, deve procurar quitá-los à vista, pois os descontos geralmente valem mais a pena do que os rendimentos de uma aplicação de baixo risco (como os nossos amigos Fundos de Renda Fixa referenciados ao CDI, que já expliquei aqui anteriormente – clique aqui para ler). Se isso não for possível, parcele e coloque esses parcelamentos imediatamente em seu orçamento doméstico, diminuindo alguns gastos de outras categorias a fim de comportá-los.
  4. Dê uma atualizada no currículo e faça networking
    Que tal um aumento na sua renda? Cairia bem para pagar essas despesas, não? Se você está empregado, este é o melhor momento para buscar uma promoção interna na sua empresa, ou fazer seu nome circular em outras. Lembre-se: quem não é visto não é lembrado! Pegue o seu último currículo salvo e dê uma atualizada nele. Provavelmente há cursos e especializações que você fez recentemente que não constam nele ainda. Livre-se de algumas informações irrelevantes. Dê uma atualizada no seu design (sim, isso conta). Uma vez feito, reative contatos antigos na sua área de atuação, peça indicação de pessoas conhecidas que tenham bom relacionamento com pessoas-chave em empresas onde você sonha trabalhar, mantenha contato com pessoas que valham a pena (que progridem na vida, tenham uma atitude positiva e proativa), evite pessoas tóxicas (que só falam mal da empresa, do governo, do salário, de tudo e de todos). A sua rede de contatos deve ser alimentada sempre – e não apenas quando você precisa de alguma coisa. Afinal, quem lembra dos amigos só para pedir ajuda certamente perde pontos e amizades. Essas dicas também servem se você é autônomo ou está desempregado – só que, nesse caso, o esforço tem que, no mínimo, ser redobrado.
  5. Se estiver com a corda no pescoço, pegue dinheiro emprestado, com sabedoria
    Dívidas são tão problemáticas que eu gastei CINCO COLUNAS aqui no Pleno.News só para ensinar como evitar entrar e como sair com inteligência delas (clique aqui para ler o primeiro da série). Elas devem ser evitadas a todo custo, através da ORGANIZAÇÃO E DISCIPLINA. Mas, quando não houver jeito, aqui vão algumas dicas: Pegar dinheiro emprestado com pessoas, pagando o dobro dos juros da renda fixa, é a melhor alternativa. Calce as sandálias da humildade, vá conversar com aquela pessoa que é mais organizada e disciplinada que você; admita seu erro; fale que você está se esforçando para melhorar sua vida financeira (com as dicas que estamos dando aqui toda semana) e ofereça a ela algo que seja vantagem para ela e para você: elas ganham juros melhores e você paga juros menores do que pagaria a instituições financeiras. Se não for possível encontrar alguém próximo que lhe empreste dinheiro, procure instituições financeiras que trabalhem com: Crédito Consignado, Crédito com garantia de Imóveis ou de automóveis, Crédito Pessoal. Nessa ordem. Nunca, jamais faça suas dívidas com base no uso rotativo do cheque especial ou cartão do crédito, Ok?
  6. De uma vez por todas: ORGANIZE-SE
    Uma vez superado o sufoco deste ano, reúna a família, trace uma estratégia de diminuir algumas despesas ao longo deste ano e comece a poupar para não enfrentar sufoco em janeiro que vem. Se você pegar nosso índice de artigos (clique aqui), rolar a tela até o final e ir lendo os artigos pela ordem de publicação, um de cada vez, colocando em prática as rotinas propostas, você estará fazendo um verdadeiro CURSO DE FINANÇAS PESSOAIS COMPLETO e de graça. Seguindo essas dicas, você pode ter, de fato, um bom 2020, com as finanças pessoais organizadas, e saindo de um patamar de dívidas para um patamar de construção de riqueza, rumo à tão sonhada LIBERDADE FINANCEIRA !

Espero ter contribuído para dar uma reanimada em seu ânimo, após um feriado de descanso e convívio com a família.

Caso você tenha alguma questão ou dúvida relacionada a Finanças Pessoais, envie-a para redacao@plenonews.com.br, e eu terei o maior prazer em responder e tentar lhe ajudar.

Por hoje é só. Conte comigo! Estarei toda semana por aqui. Forte abraço, até semana que vem. Sucesso e fique em paz!

Anderson de Alcantara é profissional do mercado financeiro há 30 anos, atua como consultor financeiro na 3468 Finance e é professor titular do Ministério Videira – Educação Financeira à luz da Bíblia.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo