Princípios Bíblicos para se obter a verdadeira prosperidade: Contentamento

“Conservem-se livres do amor ao dinheiro e contentem-se com o que vocês têm, porque Deus mesmo disse: Nunca o deixarei, nunca o abandonarei” Hebreus 13.5

Anderson de Alcantara - 02/10/2019 18h17

Dando continuidade à série de artigos sobre os Princípios Bíblicos para se obter a verdadeira prosperidade (o índice para os capítulos anteriores encontra-se ao final deste artigo), hoje falaremos sobre o princípio do CONTENTAMENTO.

A palavra grega presente nos textos sagrados traduzida para o português como contentamento significa “estar alegre com o que tem”. O apóstolo Paulo em sua carta aos Filipenses afirma:

“… pois aprendi a estar contente em toda e qualquer situação” Filipenses 4:11

O reverendo Ricardo Barbosa de Souza em seu texto “O limite do contentamento” define-o como “um estado de alma que descobriu que possui em Cristo tudo quanto lhe é necessário para sua alegria, paz e comunhão com Deus e os homens”. O contentamento é um dom de Deus que tem como origem a Sua perspectiva da vida para nós.

Quando examinamos o contexto da afirmação feita por Paulo no texto de Filipenses 4, percebemos que ele estava com necessidades materiais urgentes. Os irmãos intervieram com uma ajuda – uma oferta amorosa para o seu sustento – e ele lhes disse que ela veio em momento certo, ao encontro de suas necessidades. Contudo, o apóstolo não reclama da sua privação, mas diz que ele aprendeu a viver contente em toda e qualquer situação.

Interessante notar que Paulo aprendeu a contentar-se, de onde entendemos que antes deste episódio ele ainda não possuía essa virtude bem desenvolvida. E onde foi que ele aprendeu a praticar esta virtude? Em meio à abundância ou à falta?

Pense um pouco em sua própria vida cristã: quais foram os momentos em que você buscou ao Senhor com mais intensidade: foi quando tudo estava bem, ou durante uma prova difícil?

Nos dias atuais, temos nos especializado em chegar à presença de Deus com nossa lista de pedidos, e esquecemos de olhar à nossa volta e acalmar o nosso coração pelo que já temos. O verdadeiro contentamento antecede à gratidão. É impossível ser grato sem antes estar contente com o que se tem. Quem vive focado naquilo que não tem, não pode dizer que é verdadeiramente grato.

Isso me lembra o texto de um soneto chamado “Felicidade”, de autoria de Vicente de Carvalho (1866-1924) , que foi um célebre advogado, jornalista, político, abolicionista, fazendeiro, deputado, magistrado, poeta e escritor brasileiro. Nesta poesia, ele define com maestria:

Só a leve esperança, em toda a vida,
Disfarça a pena de viver, mais nada:
Nem é mais a existência, resumida,
Que uma grande esperança malograda.

O eterno sonho da alma desterrada,
Sonho que a traz ansiosa e embevecida,
É uma hora feliz, sempre adiada
E que não chega nunca em toda a vida.

Essa felicidade que supomos,
Árvore milagrosa, que sonhamos
Toda arreada de dourados pomos,

Existe, sim : mas nós não a alcançamos
Porque está sempre apenas onde a pomos
E nunca a pomos onde nós estamos.

Profundo, isto! Leia e releia mil vezes e reflita se o problema não está aí, muitas das vezes (em onde pomos a felicidade).

Voltando a Paulo, em sua carta aos Filipenses, logo em seguida ao trecho que destaquei inicialmente veremos o apóstolo dizer uma de suas frases mais conhecidas de todos os seus textos:

“Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece” Filipenses 4:13

Vemos claramente que o “poder todas as coisas” não significa “não precisar passar por tribulações”, nem tampouco vencê-las imediatamente assim que elas cheguem, mas suportá-las paciente e confiantemente, sabendo que a vitória do Senhor é certa e que ela chegará a tempo.

CRISTO deve sempre ser a nossa maior fonte de contentamento. O segredo da tranquilidade e do perfeito contentamento está em Cristo. Podemos entender o contentamento Cristão como “estar satisfeito em Deus”. Nossa satisfação virá unicamente por meio do nosso relacionamento com Deus em Cristo; por termos comunhão de forma pessoal e íntima com ele; tendo alegria de adorá-lo, se deleitar em sua presença e em cumprir os seus mandamentos. O cristão sempre encontrará satisfação real e alegre quando busca mais comunhão com Deus.

“Porque em tudo fostes enriquecidos nele, em toda palavra e em todo conhecimento… de maneira que nenhum dom vos falta, enquanto aguardais a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo” 1 Coríntios 1:5-7

Por hoje fico aqui, lembrando que, caso você tenha alguma questão ou dúvida relacionada a Finanças Pessoais, envie-a para redacao@plenonews.com.br e eu terei o maior prazer em responder e tentar lhe ajudar.

ARTIGOS ANTERIORES DESTA SÉRIE:
(clique no título para abrir cada artigo)

1. Introdução
2. Mordomia
3. Trabalho

Forte abraço, sucesso, fiquem na Paz, e até semana que vem se Deus quiser!

Anderson de Alcantara é profissional do mercado financeiro há 30 anos, atua como consultor financeiro na 3468 Finance e é professor titular do Ministério Videira – Educação Financeira à luz da Bíblia.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo