CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Resposta aos que dizem que as igrejas estão com medo do coronavírus

Pânico X Investimentos

Coronavírus + guerra do petróleo = Dólar alto e ações caindo. Veja como sobreviver a essa prova de nervos

Anderson de Alcantara - 17/03/2020 17h39

Bolsa de valores bateu novo recorde Foto: Pixabay

Duas semanas atrás, aqui nesse nosso espaço no Pleno.News, eu havia comentado sobre os possíveis impactos da pandemia de Covid-19 na economia global (clique aqui para ler). Conforme eu havia adiantado – “O dólar ainda deve subir um pouco mais e alguns papéis irão se desvalorizar.” – O que de fato, aconteceu e vem acontecendo.

Não é preciso ter bola de cristal, nem ser ‘profeta do apocalipse’ para se antecipar algumas tendências no início de uma crise. Muitas ocorrências em cenários como este são previsíveis. O problema é como lidar com elas quando se está “no olho furacão”.

O fato de todo mundo estar falando sobre a bolsa em queda, o coronavírus, o dólar disparando, acaba reforçando – muitas vezes, de maneira errônea – o senso de desespero. Esse excesso de exposição do assunto leva a crer que o problema é maior do que realmente é. Com isso, os investidores entraram em pânico e se lançaram em uma onda de vendas de ações em todo o mundo, inclusive no Brasil. Como resultado, as Bolsas mundiais tem despencado, o que os especialistas chamam de “Efeito Manada“.

Para quem tem investimentos e viu seu saldo diminuir, neste momento, o ideal é não fazer nada

Efeito manada é a tendência humana de repetir ações feitas por outras pessoas – ainda mais se estas forem influentes – esperando assim ter o melhor resultado possível sempre (o que é uma utopia). O nome é dado graças à semelhança com o que ocorre no reino animal: se dois búfalos estão bebendo água, tranquilamente, à beira de um lago, e por trás deles se aproxima uma manada de búfalos correndo, eles param de beber água e começam a correr junto da manada, sem sequer terem avaliado se de fato havia alguma ameaça iminente a eles que estavam tranquilos ali até então, longe da confusão. Na histeria, a emoção acaba tomando conta e os fatos objetivos ficam de lado.

Para quem tem investimentos e viu seu saldo diminuir, neste momento, o ideal é não fazer nada. Quando a pessoa entra no mercado de investimentos somente com expectativas positivas, e que uma queda drástica não poderia acontecer, ela entra em pânico quando isso acontece, e acaba tomando decisões ruins. Acaba “saindo na hora de comprar”. Entenda: mesmo que um extrato de investimentos seu hoje esteja com saldo menor do que estava mês passado, efetivamente você ainda não teve prejuízo. O prejuízo só ocorre quando ele é realizado – ou seja: quando a pessoa dá ordem ao banco/corretora para sair do investimento, em baixa.

Assim como um monte de gente saiu da renda fixa nos últimos meses porque a Selic caiu e foi parar na renda variável porque era “o que todo mundo estava fazendo”, agora, no primeiro ‘circuit breaker’ da vida, as pessoas saem correndo outra vez e só saem perdendo. Se o investidor individual tenta ir pela manada, pela mensagem de WhatsApp do cunhado ou do grupo de amigos da faculdade, é muito possível que – tristemente – vá perder dinheiro. O ideal – não só nessas horas – é procurar a ajuda de profissional de planejadores e consultores financeiros de confiança e imparciais, para falar sobre sobre a situação específica de cada investidor. O que vale para o seu amigo pode não valer para você.

Por hoje fico aqui, lembrando que, caso você tenha alguma questão ou dúvida relacionada a Finanças Pessoais, pode enviá-la para redacao@plenonews.com.br e eu terei o maior prazer em responder e tentar lhe ajudar.

Forte abraço e até semana que vem. Sucesso e fique em paz!

Anderson de Alcantara é profissional do mercado financeiro há 30 anos, onde atua como como Planejador Pessoal; e é Professor Titular do Ministério Videira – Educação Financeira à luz da Bíblia.
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo