O custo da “Lei de Gérson”

Quando tentar levar vantagem em tudo traz problemas e prejuízos financeiros

Anderson de Alcantara - 12/03/2019 10h09

Sociedade corrompida Foto: Pixabay

Olá, caro leitor do Pleno.News! Como vai? Tudo bem?

Se você tem menos de 40 anos deve ter dificuldade em entender plenamente a expressão “Lei de Gerson”, que dá título ao nosso assunto de hoje. Então, primeiramente, eu vou lhe explicar:

A expressão faz alusão a uma propaganda televisiva de 1976, da marca de cigarros Vila Rica. O comercial trazia o meia-armador Gérson, jogador da Seleção Brasileira Tricampeã Mundial de Futebol, como protagonista. Em dado momento do vídeo, Gérson explica as vantagens (?) daquela marca de cigarros:

“Por que pagar mais caro se o Vila me dá tudo aquilo que eu quero de um bom cigarro? Gosto de levar vantagem em tudo, certo? Leve vantagem você também. Leve Vila Rica!”.

(É possível ver réplicas deste comercial no YouTube. Clique aqui para assistir a uma delas).

Pronto. Estava lançada a legitimidade informal para algo imoral, que já existia no seio de nossa sociedade. Procurar “levar vantagem em tudo” não foi algo criado pelo nosso ilustre craque do Tri, mas, ao dizer o texto publicitário diante da câmera, Gérson materializou um símbolo do oportunismo e da falta de escrúpulos, típico de uma grande parcela de nossa sociedade, desde aquela época até hoje.

No fundo, para mim, a “Lei de Gérson” personifica uma das razões para o nosso subdesenvolvimento.

Mais tarde Gérson se disse arrependido de ter associado sua imagem ao anúncio, visto que qualquer comportamento pouco ético foi sendo vinculado a esta expressão com seu nome. O diretor do comercial, José Monserrat Filho, procurando se eximir da responsabilidade, sustentou que “o público fez uma interpretação errônea” do seu vídeo e, no segundo anúncio, até tentou consertar. O bordão final passou a ser: “Levar vantagem não é passar ninguém para trás, é chegar na frente”. Mas, essa frase não pegou; prevaleceu no senso comum da sociedade brasileira a primeira. E isso – como eu já disse – não cria, mas explica muita coisa.

Desde muito antes do comercial dos cigarros Vila Rica, a sociedade brasileira já estava contaminada com esse “modo de vida”. Infelizmente, o padrão de comportamento vem de cima, dos altos escalões da administração pública, que corrompem e são corrompidos, o que acaba dando liberdade para o cidadão “aqui de baixo” pensar: “Se os ‘homens lá de cima’ fazem o que fazem e nada acontece, por que eu devo agir eticamente, de acordo com valores que são a base das sociedades democráticas?”

Paradoxalmente, gostamos de apontar para a tela da TV e insultar políticos quando são flagrados desviando milhões, mas a verdade é que a grande maioria de nós:

  • Aceita vantagens ilícitas no trabalho;
  • Sonega impostos;
  • Não cede os lugares preferenciais nos coletivos;
  • Estaciona em vagas de idosos e deficientes físicos;
  • Usa carteirinha falsa de estudante para pagar meia entrada;
  • Compra CNH ou suborna agentes no exame;
  • Enrola no trabalho para gerar horas extras;
  • Compra produtos pirata;
  • É atraída por esquemas de pirâmides financeiras;
  • Faz dívidas e não as paga, esperando “que elas sumam em cinco anos”;
  • Faz contrabando quando viaja ao exterior;
  • Compartilha senhas de sistemas;
  • Faz gato de luz, água, TV a cabo, etc…

O grande problema quando você adota adota tais práticas como estilo de vida, é que você acaba atraindo para si, forças e pessoas inclinadas a tirar vantagem DE VOCÊ! É a famosa Lei Universal do Retorno (ou da Consequência, ou do Bumerangue). Essa sim, estabelecida não por homens, mas pelo próprio Criador do Universo (e esse é um dos poucos pontos comum a todas as religiões do planeta).

A regra número um para levar vantagem em tudo de uma forma saudável a longo prazo é: não querer levar vantagem em nada. Se você ler a Bíblia, vai encontrar no livro dos Provérbios centenas de conselhos como:

  • “Quem trabalha a sua terra terá fartura de alimento, mas quem vai atrás de fantasias não tem juízo.” (Provérbios 12:11);
  • “O fiel será ricamente abençoado, mas quem tenta enriquecer-se depressa não ficará sem castigo.” (Provérbios 28:20);
  • “O invejoso é ávido por riquezas, mas não percebe que a pobreza o aguarda.” (Provérbios 28:22).

Note que este livro foi escrito há quase 3.000 anos por aquele que é tido como um dos homens mais ricos da história da humanidade (o Rei Salomão); e até hoje, a maior parte das pessoas ainda perde dinheiro por não seguir estes conselhos. Não preciso dizer mais nada.

Que você procure fazer a sua parte como cidadão e pessoa de bem que se propõe – e diz ser -, e vá na contramão do sistema, procurando agir com honestidade e ética em tudo na sua vida, mesmo quando ninguém estiver olhando. Esse é um dos segredos da VERDADEIRA PROSPERIDADE.

Por mais “Leis de Moro” e por menos “Leis de Gérson”!

Por hoje é só. Caso você tenha alguma questão ou dúvida relacionada a Finanças Pessoais, envie-a para redacao@plenonews.com.br, e eu terei o maior prazer em responder e tentar lhe ajudar.

Um forte abraço, sucesso, paz, amor e harmonia para você e sua família.

Até semana que vem, se Deus quiser!


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo