Não existe recompensa sem esforço

Poupar pelo menos 10% do que se ganha, deveria ser tão sacro quanto aquilo que hoje lhe é mais sagrado na vida

Anderson de Alcantara - 22/01/2019 10h10


Olá, leitor do Pleno.News! Como vai? Tudo bem?

Hoje aprenderemos um pouco mais sobre um nos nossos amigos MULTIPLICADORES DE RIQUEZA: o ESFORÇO.

Se você já vem nos acompanhando ao longo dos artigos anteriores (para ver o índice completo, clique aqui), já deve ter percebido que – assim como tudo na vida – não existe um caminho fácil para se obter prosperidade financeira.

Se, para emagrecer, você precisa fazer dieta e exercícios físicos, para ter tranquilidade com relação ao dinheiro você precisa gastar menos do que ganha, controlar suas entradas e saídas, e não viver em dívidas, pagando juros aos outros.

Isso é o esforço pessoal que cada um deve fazer, objetivando ter sucesso nessa área. Não existe fórmula mágica, investimento milagroso, nem programa de computador ou aplicativo de celular que possam substituir o esforço pessoal que você e sua família terão que fazer com as suas finanças, mensalmente, se quiserem prosperar, de verdade.

Gastar menos do que se ganha e destinar parte do Orçamento Doméstico mensal para a formação de reservas é o primeiro passo efetivo em direção à construção da sua Independência Financeira. A questão não é nem se vale a pena fazer, nem de quando começar. Isso já era para estar sendo feito.

Vamos ver agora, com quanto você, talvez, deva começar.

Nove em dez livros de finanças pessoais falam em se guardar dez por cento da renda mensal. É um valor interessante e que, para a maioria das pessoas, funciona sem maiores dificuldades, exigindo apenas alguns pequenos ajustes.

Em minhas palestras, costumo iniciar o desafio de se guardar 10% do que se ganha fazendo uma analogia com a prática sagrada do DÍZIMO. Muitas pessoas ao redor do mundo abrem mão mensalmente de 10% sobre tudo aquilo que ganham e os entregam em suas igrejas (cristãos ortodoxos, protestantes e católicos), sinagogas (judeus) e mesquitas (muçulmanos). São mais de 4 bilhões de pessoas (57% da população terrestre atual) que professam uma Fé que pede a elas que façam um sacrifício pessoal em prol da sua coletividade, da comunidade na qual estão inseridos, e na própria manutenção daquilo que elas têm com o mais sagrado para si.

Sendo assim, se você é uma destas pessoas, eu, humildemente, instituo na sua vida e na de sua família daqui para a frente, o DÍZIMO DA FAMÍLIA:

Os Dízimos Sagrados

Dessa forma, quem visa o bem estar da sua família, quer ter uma aposentadoria tranquila no futuro e quer prover a realização de seus sonhos e os daqueles a quem ama, deveria se comprometer – da mesma forma com aquilo que lhe é mais sagrado – guardar 10% de tudo o que se ganha e viver com 80% das receitas destinados para as despesas:

Viver com 80% Anderson de Alcantara

 

– Ah, Professor, mas eu sou ateu!

– Que bom, então você pode guardar 20%, religiosamente, para você e sua família e viver com os mesmos 80% dos demais! 😁

Outra vantagem de se estabelecer um valor de poupança mensal em forma de percentual, é que ele irá aumentando ao mesmo tempo em que a renda aumenta ao longo da vida. Isso irá acelerar a formação do patrimônio e ajudar a combater a chamada “Maldição da Classe Média” (que já estudamos aqui).

Lembre-se do que eu já disse naquele artigo: se você e sua família hoje gastam tudo o que ganham, você está condenado a ter um grande fracasso financeiro lá na frente. Hoje você está apenas realizando pequenos desejos de luxo e padrão de vida que atendem mais às necessidades do sistema do que os seus mesmos, efetivamente.

A palavra do homem mais rico que já existiu, para quem vive assim, é muito forte: TOLO (aquele que não tem inteligência ou juízo; que é tonto, simplório, ingênuo, diz ou pratica tolices; que não tem nexo, significação ou razão de ser; disparatado e infundado – segundo o dicionário): “Na casa do sábio há comida e azeite armazenados, mas o tolo devora tudo o que pode” (Provérbios de Salomão 21:20).

Ok? Vamos fazer? Sim ou com certeza? Ótimo!

Antes, é bom entender que os tais 10% não devem ser regra para todo mundo. Podemos dizer que estes deveriam ser um objetivo mínimo. Se for possível guardar mais (obviamente, sem sacrificar a qualidade de vida – o que já se torna avareza), devemos fazê-lo. Já as pessoas que estão com mais de 50 anos, que ainda não começaram este processo de formação de reservas financeiras, e que estão preocupadas com a sua aposentadoria no futuro, talvez tenham que fazer uma conta mais apurada. Com a ajuda de um especialista é possível chegar na conta correta do TEMPO x ESFORÇO x RENTABILIDADE que deverão buscar para ter uma renda complementar adequada ao padrão de vida atual.

Existem ainda as pessoas que NÃO DEVEM poupar agora. São aquelas que têm dívidas em aberto com juros altos. Pessoas nessa situação devem direcionar todos os recursos possíveis para o pagamento das dívidas. Fazer poupança ou investir dinheiro, nessas circunstâncias, nos leva a cair na armadilha da “contabilidade mental falso-positiva”; que é a situação onde temos, ao mesmo tempo, dinheiro investido rendendo pouco e dívidas que custam muito mais juros do que os pagos pelas aplicações.

Alguns autores defendem que é importante fazer as duas coisas: pagar dívidas e poupar dinheiro. Não consigo dar crédito a essa tese. É uma tremenda tolice, financeiramente falando. Antes de começar a poupar, quite as suas dívidas. Escrevi 5 artigos aqui, recentemente, só para tratar deste assunto. Procure-os no meu índice de artigos. Vai lhe trazer muito mais resultado!

E, para quem ainda consegue encontrar justificativas para não começar um plano pessoal de poupança mensal (sério?), semana que vem passarei para vocês algumas dicas sobre como conseguir economizar no orçamento doméstico mensal e começar a destinar pelo menos 10% do que você ganha para formar reserva e construir um Patrimônio Financeiro Sustentável para a sua família. O objetivo é atingir seus objetivos e realizar seus sonhos e os de quem você ama. ❤ É para isso que serve o dinheiro. 💰

Por hoje é só. Contem comigo! Estarei toda semana por aqui.

Caso você tenha alguma questão ou dúvida relacionada a Finanças Pessoais, eescreva para redacao@plenonews.com.br. Eu terei o maior prazer em responder e tentar lhe ajudar.

Forte abraço e até semana que vem. Sucesso e fiquem em Paz!

Anderson de Alcantara é profissional do mercado financeiro há 29 anos, atua como Consultor Financeiro na Sukses Consulting Advisory e é Professor Titular do Ministério Videira – Educação Financeira à luz da Bíblia.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo