Como gastar menos, economizar e investir

Dicas práticas sobre como cortar despesas e começar a fazer o dinheiro sobrar no final do mês

Anderson de Alcantara - 29/01/2019 15h00


Olá, leitores do Pleno.News! Como vão? Tudo bem?

Hoje daremos sequência ao estudo de um dos nossos amigos MULTIPLICADORES DE RIQUEZA: o ESFORÇO. Daremos aquele “empurrãozinho” que faltava para você parar de arrumar desculpas e gastar tudo o que ganha mês após mês, ano após ano, e com isso acabar sem prosperar e realizar seus sonhos e os de sua família.

Na semana passada eu já mostrei para vocês que um dos homens mais ricos que já existiu – o Rei Salomão de Israel (966 a.C‎ – 926 a.C) – chama de TOLO quem faz isso.

Vimos também que pessoas não conseguem poupar porque gastam mais do que ganham. Esse é o ponto. Reduzir as despesas é fundamental, objetivando viver com 80% do que se ganha e reservando 20% para aquilo que é sagrado. Ter esse entendimento é fundamental para prosseguirmos.

Algumas pessoas alegam que não conseguem fazer cortes no orçamento e que “já tentaram de tudo” para reduzir as despesas, mas não conseguem. Essas pessoas caíram na “Maldição da Classe Média”, que já foi nosso objeto de estudo aqui antes. Se continuarem a dar desculpas para não agir agora, infelizmente não conseguirão avançar.

Também já vimos que, mesmo se uma família estiver enrolada com dívidas, é possível fazer ajustes necessários que tirem esse peso de pagar juros a terceiros e empobrecer, trocando esse gasto por investimentos que nos gerem juros para enriquecer. Não basta querer. Tem que se agir.

TEM PODER QUEM AGE!

Quem vem fazendo seu orçamento doméstico com fidelidade (se você ainda não faz, pare nesse ponto e leia este artigo), pode agora partir para um entendimento mais realista da dinâmica das despesas da casa.

Quando as coisas apertam e é necessário economizar, rapidamente alguém do casal começa a bradar pela casa sobre luzes e aparelhos ligados desnecessariamente, o tempo de duração dos banhos… (você já viu esta cena?). Mas, geralmente, apesar de serem controles úteis, a energia despendida com estas ações gera pouco resultado em Reais no final do mês.

Para poupar dinheiro dentro da sua meta mensal, é fundamental cortar os gastos desnecessários, ou seja, aqueles que não são de suma importância para o seu dia a dia. Por outro lado, há muitos gastos tidos como essenciais que, na verdade, também podem ser alvo da contenção de despesas.

Logo, toda casa tem duas categorias básicas de despesas:

Categorias básicas de despesas domésticas

  1. DESPESAS OBRIGATÓRIAS: estão relacionadas à manutenção do essencial ao estilo de vida;
  2. DESPESAS ACESSÓRIAS: são as que foram sendo incorporadas ao orçamento doméstico para trazer mais lazer e conforto.

Em relação ao desembolso mensal, estes gastos têm outras duas características em comum: alguns têm valor FIXO mensal, outros têm valor VARIÁVEL, de acordo com o consumo. Dessa forma, passamos a ter:

Categorias expandidas de despesas domésticas Anderson de Alcantara
  • DESPESAS OBRIGATÓRIAS FIXAS dificilmente podem ser eliminadas ou reduzidas. Enquadram-se nesta categoria a maioria das despesas relativas à moradia, como: aluguel (ou financiamento) do imóvel, condomínio, IPTU, IPVA e financiamento do automóvel, etc;
  • DESPESAS OBRIGATÓRIAS VARIÁVEIS também são difíceis de se eliminar, mas seus valores podem ser reduzidos. Nesta categoria estão a maioria das contas de consumo, como água, luz e telefone, supermercado e itens pessoais como vestuário e produtos pessoais de higiene e beleza;
  • DESPESAS ACESSÓRIAS FIXAS podem ser eliminadas por completo, mas dificilmente permitirão uma redução no seu valor. Aqui vamos encontrar as assinaturas de jornais, revistas, serviços de streaming de áudio e vídeo, planos de saúde, clubes e academias;
  • DESPESAS ACESSÓRIAS VARIÁVEIS podem ser eliminadas ou terem seu valor reduzido. Neste grupo vamos encontrar os gastos com refeições fora e delivery, cinema, viagens e lazer de um modo geral, salões de beleza, presentes a terceiros etc.

Dessa forma, olhando para este segundo quadro acima, fica fácil ver que, antes de esbravejar com todos da casa para reduzir a conta de luz ou de água (Despesas Obrigatórias Variáveis), existem dois grupos de despesas (as acessórias) que têm muito mais espaço para redução imediata de gastos.

Na prática, todas as despesas podem ser reduzidas sem que haja perda significativa da qualidade de vida. Para tanto, a criatividade deve entrar em ação: nas idas ao supermercado, substituam produtos que estejam excessivamente caros e procure por ofertas ou produtos de segunda linha e dê preferência a alimentos sazonais — que apresentam brusca redução de preço nos seus períodos de safra; cozinhe mais e saia menos e peça menos delivery; troque as roupas de marca pelas de magazines; venda o carro; dê menos presentes… A lista pode ser enorme. Não tenha medo de ser feliz!

Agora que vocês têm informações para decidir, que tal fazer um “Paredão das Despesas” e botar para fora da casa, nessa terça-feira, quem já não está mais colaborando tanto assim para manter um bom clima entre os participantes? 😁

Por hoje é só. Façam sua parte e contem comigo!

Semana que vem voltarei a falar mais sobre como aplicar melhor a sua economia mensal, já que vimos que a Caderneta de Poupança não é a melhor solução para investir o seu dinheiro faz muito tempo.

Caso você tenha alguma questão ou dúvida relacionada a Finanças Pessoais, envie-a para redacao@plenonews.com.br e eu terei o maior prazer em responder e tentar lhe ajudar.

Forte abraço, até semana que vem. Sucesso e fiquem em Paz!

Anderson de Alcantara é profissional do mercado financeiro há 29 anos, atua como Consultor Financeiro na Sukses Consulting Advisory e é Professor Titular do Ministério Videira – Educação Financeira à luz da Bíblia.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo