Leia também:
X Aborto: O nome moderno para o sacrifício a Moloque

Vida financeira na montanha-russa

Os altos e baixos possuem fatores externos e internos e cabe a você acompanhar e identificar como eles estão afetando a sua vida financeira

Aline Rodrigues - 11/08/2020 17h00

Muitas pessoas vivem em uma constante montanha-russa na vida financeira. São altos e baixos, o tempo todo e isso obviamente gera stress e frustrações.

Aprender a lidar com o dinheiro, definir metas de gastos, assumir os limites financeiros e utilizar o dinheiro com estratégia e planejamento fará toda a diferença para manter as finanças nos trilhos sem tantos momentos de cabeça para baixo.

Os altos e baixos possuem fatores externos e internos e cabe a você acompanhar e identificar como eles estão afetando a sua vida financeira e com que frequência.

Os fatores externos são crises, meses ruins relacionados ao negócio ou trabalho, influência em relação a queda de renda de terceiros, são efetivos passivos, no qual você é afetado, mas não possui nenhum poder e controle em relação a mudança.

Os fatores internos são produzidos por você mesmo no momento em que compra algo maior do que sua capacidade de pagamento, consome sabendo que não poderia, pega empréstimos e assume riscos maiores do que o seu potencial atual. Esses são ativos e é você quem toma a decisão em tê-los no seu dia a dia.

Viver em uma constante montanha-russa financeira não é nada agradável e saudável e por esse motivo vamos aqui entender os 3 fatores que confirmam que a sua vida financeira anda uma montanha-russa

Consome de acordo com a renda

Se em um mês ganha mais, os gastos consequentemente serão maiores. Mais restaurantes, mais presentes, mais consumos… E se o próximo mês tiver uma renda menor, buscará gastar menos se privando de algumas coisas para não bagunçar tanto as finanças.

Definir um limite de gastos fará com que você acompanhe de perto os seus números e que utilize o dinheiro sempre dentro das suas possibilidades. Se você ganha mais hoje e não gasta tudo no impulso, poderá ter equilíbrio nos meses piores e poderá planejar objetivos maiores e mais significativos.

Sempre utiliza o cheque especial

O cheque especial é uma grande evidência da montanha-russa. Ele tende a ser usado como um complemento da renda por uns dias ou períodos do mês/ano e faz com que a pessoa além de estar em desorganização financeira acabe tendo um custo a mais mensal que são os altos juros desse produto bancário.

Verificar a data de vencimento das contas e avaliar mudanças é um ótimo começo para não ficar nesse movimento do cheque especial, onde muitas vezes ocorre por uma questão de data de recebimento mensal. Outro fator é avaliar o que em sua vida financeira está acima das suas possibilidades atuais e está comprometendo a sua renda e equilíbrio.

Investe e resgata

Investir é cuidar do dinheiro, é rentabilizá-lo e fazer com que o dinheiro também trabalhe para você. Mas para quem vive na montanha-russa investir será sempre a válvula de escape, o local onde você aplica e logo irá realizar o resgate para pagar alguma conta do mês.

E ai? Se identificou em algumas dessas ações? Se sim, é momento de reavaliação financeira. De assumir o controle das finanças, direcionar os recursos com estratégia, organizar o que precisa ser organizado para depois estruturar e projetar crescimento. Pense nisso! Arrume a casa primeiro antes de comprar mais coisas.

Aline Rodrigues é graduada em Administração, consultora financeira e educadora financeira, profissional no mercado financeiro há 7 anos, atua como CEO da Finapse.
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.