Leia também:
X O que acontece quando uma igreja deixa de pregar sobre o pecado?

3 erros perigosos que as pessoas mais cometem em suas finanças

Você não precisa se tornar um expert de finanças, mas entender um pouco te ajudará a não cair em armadilhas

Aline Rodrigues - 18/11/2020 17h25

 

Na vida temos sempre muito para aprender e quando falamos de finanças não é diferente. Uns acham que entender sobre finanças é para poucos, mas isso não é uma verdade. Entender sobre finanças é para todos que desejam otimizar os seus recursos, direcionar o dinheiro com sabedoria e estratégia para transformar ideias em realidade.

Lembre-se de que o dinheiro está em todos os momentos de nossas vidas

É claro que em meio a correria e tantas coisas importantes no dia a dia você realmente pode não ter muito tempo para se dedicar para mais um novo conhecimento. Contudo, lembre-se de que o dinheiro está em todos os momentos de nossas vidas e saber como gerencia-lo é muito importante e trará grandes resultados positivos para você.

Você não precisa se tornar um expert de finanças, mas entender um pouco te ajudará a não cair em armadilhas e/ou não perder oportunidades por medo/falta de conhecimento.

Hoje vamos falamos sobre 3 erros perigosos que muitas pessoas cometem com suas finanças e elas fazem isso principalmente por falta de conhecimento.

Dívidas com empréstimos e cartões de crédito

O problema aqui não é o produto em si, mas sim a forma como as pessoas utilizam. Pegam empréstimos sem o menor planejamento para pagar algo que não poderiam ter adquirido e assumem uma nova parcela no mês que não cabe no orçamento. Da mesma forma com o limite do cartão de crédito, onde muitas vezes são utilizados sem o menor critério com as disponibilidades de pagamento para o mês. Se embolar em um desses dois produtos será um problema financeiro na certa e que poderá impactar e muito a saúde financeira.

Deixar a decisão na mão de terceiros

Por mais que existam gerentes (bancos), agentes de investimentos (corretoras) e consultores (independentes) esses profissionais têm como papel a informação, apresentação de possibilidades e o direcionamento, mas nunca a decisão em si. É fundamental que você busque entender, no mínimo, alguns pontos como carência (tempo que o seu dinheiro poderá ficar preso), riscos envolvidos (perdas financeiras) e procedência (de onde é esse produto, quem é a empresa).

Caso contrário, você poderá tomar uma decisão errada com o seu dinheiro e isso poderá te prejudicar bastante, seja por perdas financeiras e/ou por ter o dinheiro preso sem possibilidade de resgates por um longo período.

A decisão financeira sempre precisa ser da própria pessoa e por esse motivo aprender é tão importante para não cair em pegadinha ou entrar em grupos de pirâmides financeiras.

Buscar copiar os influenciadores ou amigos

As mídias sociais cresceram muito e com ela os influenciadores e como o próprio nome já fiz eles tendem a influenciar as pessoas a agirem e reagirem como eles. Isso tem sido um grande problema.

Muitas pessoas buscam copiar esses influenciadores, seja na questão de consumos elevados e/ou em investimentos financeiros e estão zerando conta e perdendo muito dinheiro com isso. Sem contar as fraudes que acabam acontecendo na rede social onde o investidor por falta de conhecimento e na busca de ganhar dinheiro fácil transfere seus recursos para terceiros e com isso acabam perdendo tudo.

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) em 11 de novembro de 2020 publicou um ofício para “enquadrar” a atuação destes entusiastas, o que possibilitará ter maior controle, acompanhamento e punições para os influenciadores que induzem as pessoas ao erro e/ou que não informam corretamente todos os riscos envolvidos nas operações.

E você? Comete algum desses erros ou conhece alguém que esteja cometendo?

Aline Rodrigues é graduada em Administração, consultora financeira e educadora financeira, profissional no mercado financeiro há 7 anos, atua como CEO da Finapse.
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.