Leia também:
X 7 coisas que uma mãe de menina deve ensinar à sua filha

3 dicas para criar reservas financeiras

Ter em mente de onde virá o dinheiro irá ajudar a ter mais foco

Aline Rodrigues - 17/08/2021 12h59

3 dicas para criar reservas financeiras Foto: Pixabay

Todos sabem da importância de ter uma reserva financeira. Mas, na hora de criar essa reserva, é que complica. Muitos vão deixando isto para depois. Esperam que sobre dinheiro em conta, para o investirem, ou contam com a sorte, para nunca precisarem dessa reserva. Mas ela é importante, e você sabe disso.

Então, antes de tudo, é importante reforçar que, independente do seu momento atual, começar a investir é fundamental. É melhor começar hoje com pouquinho, mas dar esse passo, do que ficar parado, esperando o momento perfeito. Então, vamos lá.

Dica 1 – Defina de onde virá o valor
Se você possui um salário fixo, determine um valor mínimo mensal que você destinará para sua reserva. Para lhe ajudar com uma direção, pense em algo entre 10% a 20% da sua renda. Mas, se esse percentual (%) não pode ser uma realidade, avalie um mínimo financeiro que você consiga separar.

Se possui renda variável ou rendas extras, escolha um foco de atenção para a construção dessa reserva. O valor que um determinado cliente paga poderá ser destinado direto à reserva; ou um valor de x serviços/produtos vendidos; ou um valor em reais (definido por você) a cada entrada financeira na sua conta.

Ter em mente de onde virá o dinheiro e quanto você deseja acumular irá ajudá-lo a ter mais foco.

Dica 2 – Defina para onde o valor irá
A reserva precisa estar longe da sua conta bancária (e longe do alcance dos desejos imediatos), ou seja, esse dinheiro precisa ser investido.

Um produto financeiro com facilidade de resgate e segurança e que funciona bem para reservas financeiras é o CDB (Certificado de Depósito Bancário). Em bancos digitais, você encontra CDBs com aplicação mínima a partir de R$20,00.

Busque um CDB com liquidez diária e rendimento mínimo de 100% CDI. Esse será um produto com facilidade de resgate, o que irá ajudá-lo no caso de emergências e fará com que o seu dinheiro vá rendendo no dia a dia.

Sim, o CDB será bem melhor que a poupança!

Assim que o dinheiro entrar na sua conta, invista-o. Dessa forma, você não cairá na armadilha de usá-lo para outras coisas.

Dica 3 – Defina regras para utilização
A reserva de emergência é para emergências mesmo e, por esse motivo, é muito importante que você defina regras de utilização e tenha um bom entendimento sobre o que é uma emergência.

Se o chamaram para sair e você não tem dinheiro, isso não é uma emergência. Se você recebeu menos esse mês e precisa pagar a conta de luz, comprar comida ou um remédio, isso é uma emergência.

Não se sabote. Defina as regras e em que situações você realmente irá realizar o resgate. Essa é uma das etapas mais importantes para a construção da sua reserva financeira.

Gostou do conteúdo? Não deixe de compartilhar com os amigos e familiares.

Aline Rodrigues é graduada em Administração, consultora financeira e educadora financeira, profissional no mercado financeiro há 7 anos, atua como CEO da Finapse.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.