Leia também:
X Trump participa de encontro virtual da Apec nesta sexta-feira

William Seymour: O símbolo negro que influencia até hoje

Conheça o primeiro negro a liderar um movimento interracial nos EUA durante o Apartheid

Pierre Borges - 20/11/2020 08h38 | atualizado em 20/11/2020 10h26

Pastor William Seymour Foto: Reprodução

Pelo menos, 20 anos antes do nascimento de Martin Luther King e Malcolm X, os Estados Unidos viu o primeiro homem negro liderar pessoas de todas as raças no país. Filho de escravos, o pastor William Seymour nasceu em 1870 e aos 36 anos iniciou um movimento conhecido como o Avivamento da Rua Azusa, que afetou vários países, inclusive o Brasil.

Seymour foi o principal precursor do Pentecostalismo, doutrina seguida até hoje por igrejas como a Quadrangular, Assembleia de Deus, Deus é Amor e outras. Nascido em Luisiana apenas 5 anos após o fim da escravidão nos EUA, Seymour viveu sob o racismo do Apartheid.

Seymour teria sido obrigado a assistir as aulas sentado no corredor

Mesmo cego de um olho devido a complicações da varíola, Seymor começou a estudar Teologia na Faculdade Bíblica Betel (Bethel Bible College) em 1905. As leis do Apartheid determinavam que negros não podiam entrar nas salas de aula frequentadas por alunos brancos. Há quem diga que, devido à isso, Seymour teria sido obrigado a assistir as aulas sentado no corredor, em frente à porta da sala. O teólogo Gutierres Siqueira esclarece:

– Não há dúvida de que esse fato histórico ocorreu. Os historiadores pentecostais atestam essa triste história de maneira unânime. Os Estados Unidos, na época, viviam sob as leis de Jim Crow, um conjunto de legislações estaduais que oficializava a discriminação contra negros em uma sociedade totalmente segregada.

Gutierres enfatiza que os negros não podiam estudar ou frequentar ambientes sociais com brancos. Portanto, William Seymour, que era negro e descendes de escravos, acompanhou as aulas de Charles Fox Pahram pela porta da sala de aula do lado de fora. Esse fato aconteceu no início de 1906 na cidade de Houston, Texas, onde Seymour conheceu o ministério de Pahram, que já vinha ensinando a doutrina do Batismo no Espírito Santo com a evidência de falar em línguas desde 1901.

No mesmo ano, William Seymour fundou sua própria igreja na rua Azusa e pregava um discurso livre de institucionalização e permitia que todos, incluindo os mais pobres, tivessem liberdade de ação e culto. O discurso do filho de escravos, também era de que qualquer um poderia se aproximar de Deus através do Espírito Santo, independente de raça ou gênero. Sob essas doutrinas, foi fundada a igreja que ficou conhecida como “Missão da Fé Apostólica”.

William Seymour fundou sua própria igreja na rua Azusa e pregava um discurso livre de institucionalização

Os cultos atraíram a atenção de homens e mulheres de vários países diferentes, além de ter chamado a atenção da mídia. Nas reuniões lideradas por Seymour, brancos e negros adoravam a Deus sem distinção. Além disso, mulheres também ocupavam lugares de liderança dentro da igreja, algo que era extremamente raro naquela época.

William Seymour era cego de um olho

Missionários de todos os continentes começaram a frequentar aquelas reuniões. Pela primeira vez na história dos Estados Unidos, em pleno Apartheid, brancos se submetiam à liderança de um homem negro e, de lá, se espalharam pelo mundo repassando a mensagem pregada por Seymour.

Nas reuniões lideradas por Seymour, brancos e negros adoravam a Deus sem distinção

– O Avivamento da Rua Azusa é simplesmente o principal avivamento do Século XX. Nenhum outro movimento cristão influenciou tanto o próprio Cristianismo na história recente. Estima-se que teremos em 2025 mais de um bilhão de pentecostais e carismáticos em todo o mundo. Hoje, em países como Nigéria e China, o avanço pentecostal está, inclusive, levando esses países a um número nunca visto de professantes da fé cristã – afirma Gutierres.

Outro ponto importante, segundo o teólogo, é que o pentecostalismo é o primeiro grande movimento carismático da história cristã que conseguiu sobreviver após a morte dos seus primeiros líderes. Isso ocorreu porque o Pentecostalismo já nasceu como um movimento missionário e apegado às Sagradas Escrituras.

Embora o nome de Seymour não seja tão lembrado, sua história é contada pelas igrejas pentecostais e cada uma delas é uma herança deixada pelo primeiro negro que ocupou um lugar de liderança sobre brancos nos Estados Unidos apenas com um objetivo: Anunciar o Evangelho.

Hoje existem livros e biografias sobre William Seymour, seminários com seu nome, centenas de sites sobre sua trajetória e até um espetáculo musical teatral em que Seymour é interpretado pelo pastor e cantor Adhemar de Campos.

Leia também1 Beleza, afinal, o que é?
2 Damares e Sikêra alertam sobre predadores de crianças nas redes
3 Enquanto Estivermos Juntos estreia nos cinemas nesta quinta
4 'Urna eletrônica sem voto impresso não oferece segurança ao eleitor', diz Bia Kicis
5 Governo destina R$ 2,5 milhões para territórios quilombolas

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.