Leia também:
X Paraguai expulsa 6 brasileiros integrantes do PCC

Vídeo: Meteoro “bola de fogo” cruza céu do Sudeste brasileiro

Rochas espaciais do tipo são mais brilhantes que o comum e culminam em explosão ainda mais luminosa

Thamirys Andrade - 24/03/2021 17h17 | atualizado em 24/03/2021 17h33

Meteoro 'bola de fogo' atravessa céu do Sudeste brasileiro
Fenômeno surgiu em Itanhandu, Minas Gerais, e desapareceu na baía da Ilha Grande, litoral do Rio de Janeiro Foto: Divulgação | Bramom

Um meteoro do tipo “bola de fogo” enfeitou o céu da região Sudeste por oito segundos durante a madrugada desta segunda-feira (22). O fenômeno não apenas chamou a atenção dos moradores, mas também de especialistas.

Astrônomos consideraram a passagem do asteroide lenta, pois corpos celestes do tipo costumam ser mais velozes. A rocha espacial em questão se movia em uma velocidade média de 49,9 mil km/h, enquanto outras tendem a ultrapassar 250 mil quilômetros.

– Isso fez com que algumas de nossas câmeras não filmassem o evento. Isso porque as estações são configuradas para só gravar vídeos quando detectam objetos que possam ser meteoros. A velocidade é um critério de corte para evitar a gravação de aviões, satélites e outros corpos mais lentos que a maioria dos meteoros – explicou o diretor técnico da Bramon, Marcelo Zurita, ao portal Uol.

Mesmo assim, cerca de 23 câmeras da Bramon (Rede Brasileira de Observação de Meteoros) e do Clima Vivo foram capazes de registrar o momento. Ele surgiu no oeste do município de Itanhandu, em Minas Gerais, e desapareceu na baía da Ilha Grande, litoral do Rio de Janeiro.

Meteoros como o observado nesta semana são inofensivos e frequentemente mais brilhantes que os normais. Eles chegam a ser mais resplandecentes que o planeta Vênus e terminam sua trajetória em uma explosão luminosa.

Leia também1 Furacão espacial é detectado por cientistas pela primeira vez
2 Nanossatélite brasileiro de 1,72 kg é lançado no Cazaquistão
3 Confira as primeiras imagens do satélite brasileiro Amazonia-1
4 Cientistas querem criar peixes na Lua. Entenda como funciona!
5 Reitor do ITA fala do valor da instituição na área aeroespacial

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.