Leia também:
X Trump sobe o tom: “Temos que fazer algo sobre o Google”

The Intercept sobre Glenn: “Pessoa adulta fazendo birra”

"Ele acredita que qualquer pessoa que discorde dele é corrupta", apontou ainda o jornal

Ana Luiza Menezes - 29/10/2020 19h16 | atualizado em 29/10/2020 20h05

Glenn Greenwald teve honraria da Alerj aprovada em setembro de 2019 Foto: Reprodução

O jornal The Intercept se pronunciou após a saída de seu co-fundador, Glenn Greewald, que acusou o veículo de censura por conta de um artigo contra Joe Biden. O jornal negou ter censurado o jornalista.

Segundo o veículo, as declarações de Glenn estão cheias de “distorções e imprecisões”. O The Intercept disse ainda que a saída do jornalista “deriva de um desacordo fundamental sobre o papel de editores na produção”.

– Glenn exige o direito absoluto de determinar o que publicará. Ele acredita que qualquer pessoa que discorde dele é corrupta e qualquer pessoa que pretenda editar suas palavras é um censor. (…) A narrativa que Glenn apresenta sobre sua partida está repleta de distorções e imprecisões, todas destinadas a fazê-lo parecer uma vítima, em vez de uma pessoa adulta fazendo birra. (…) Importante deixar claro que nosso objetivo ao editar seu trabalho era garantir que fosse preciso e justo. Enquanto nos acusa de preconceito político, era ele quem tentava reciclar as afirmações duvidosas de uma campanha política, a campanha Trump, e lavá-las como jornalismo – apontou o jornal.

Leia também1 Glenn Greenwald cita censura e anuncia saída do The Intercept
2 Trump sobe o tom: "Temos que fazer algo sobre o Google"
3 Bolsonaro sobre 'lockdown' na França: "Não consigo entender"
4 Suécia proíbe empresas chinesas Huawei e ZTE em sua rede 5G
5 Ataque com faca em basílica na França deixa três mortos

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.