Leia também:
X Helicóptero com bebê e 3 pessoas cai em igreja, e todos sobrevivem

Argentina pede que empresas consumam menos energia

País já teve um dia de apagão, na terça-feira

Pleno.News - 13/01/2022 15h20 | atualizado em 13/01/2022 17h22

Argentina pede que empresas consumam menos energia, temendo apagão Foto: Pixabay

O governo da Argentina solicitou ao setor industrial que, entre 13 horas e 16 horas desta quinta-feira (13), a demanda por energia seja reduzida nas fábricas que “não tenham ciclos contínuos”, segundo a imprensa estatal. Além disso, a administração determinou que funcionários da administração pública terão feriado administrativo, para diminuir o consumo, no momento em que há o temor de novo apagão, em meio a uma forte onda de calor no país, inclusive na capital, Buenos Aires.

O país já teve um dia de apagão, na terça-feira, e há o temor de mais problemas nesta semana.

Porta-voz do governo, Gabriela Cerruti disse que há a atenção de realizar um diálogo “profundo e minucioso” com câmaras empresariais representativas dos setores industriais, de acordo com a agência oficial Télam.

A mesma agência aponta que em seis províncias do país as temperaturas superam 40 graus Celsius.

A Télam ainda informa que, no período da tarde desta quinta, mais de 22 mil usuários estavam sem energia na capital e na sua região metropolitana.

O jornal Ámbito Financiero informa em seu site que a demanda por energia atingiu recorde no país no período da tarde desta quinta.

No apagão da terça-feira (11), mais de 600 mil usuários ficaram sem energia pelo país.

*AE

Leia também1 Vídeo: Milhões de besouros invadem cidade na Argentina
2 Buenos Aires enfrenta apagão geral em meio à onda de calor
3 Argentina fala em tratar Covid como uma "gripe comum"
4 Juíza é filmada beijando homem que condenou por homicídio
5 'Estão distorcendo a resposta do governo brasileiro', diz embaixador da Argentina

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.