Leia também:
X China aprova lei que permite que cada casal tenha até 3 filhos

Talibãs ‘caçam’ e matam parente de jornalista no Afeganistão

O alvo dos extremistas era um profissional da mídia alemã

Monique Mello - 20/08/2021 11h10 | atualizado em 20/08/2021 11h24

Combatentes talibãs no Afeganistão Foto: EFE/EPA/STRINGER

Talibãs mataram a tiros um parente de um jornalista que trabalhava para a empresa de mídia alemã Deutsche Welle (DW) no Afeganistão e que era procurado pelos insurgentes. Outro membro da família do profissional ficou gravemente ferido. A notícia foi anunciada pela própria DW em seu site oficial na manhã desta sexta-feira (20).

O jornalista da DW, alvo dos extremistas, trabalha e mora atualmente na Alemanha, mas não teve sua identidade revelada. Em atitude de repressão à imprensa, os militantes radicais vasculham casa a casa, em busca de profissionais para executá-los.

De acordo com o relatório de inteligência da ONU, os talibãs têm listas com nomes, e os alvos são pessoas que trabalharam para forças de segurança afegãs, americanas e da Otan, além de veículos de imprensa e entidades internacionais.

O diretor-geral da Deutsche Welle, Peter Limbourg, condenou com veemência o ataque à família do jornalista e pediu que o governo alemão tome alguma atitude.

– O assassinato de um parente próximo de um de nossos editores pelo Talibã é uma tragédia inconcebível e exemplifica o grave perigo no qual todos os profissionais e suas famílias no Afeganistão se encontram – alertou.

– Está claro que o Talibã já realiza buscas sistemáticas por jornalistas, tanto em Cabul quanto nas províncias. Nosso tempo está se esgotando! – completou.

Desde o avanço do Talibã na capital Cabul no último domingo (15), as casas de ao menos três jornalistas da DW foram vasculhadas. Segundo fontes oficiais da DW, Toofan Omar, diretor da rádio Paktia Ghag, foi morto a tiros por combatentes do grupo. Os extremistas prometem matar ou prender familiares, caso os alvos não sejam encontrados.

A DW se uniu a diversas entidades de imprensa, que enviaram uma carta aberta ao governo alemão, exigindo a elaboração de um programa de vistos de emergência para os profissionais afegãos.

A Associação de Jornalistas da Alemanha pediu que o governo alemão adote ações imediatas, uma vez que os colaboradores que trabalham para a imprensa ocidental estão sendo caçados.

 

Leia também1 Canal Hipócritas satiriza a 'velha imprensa' na cobertura do Talibã
2 Apresentadora compara cristãos de direita ao Talibã
3 Tragédia! Afegão morto ao cair de avião era jogador da Seleção
4 Jornalista que chamou membros do Talibã de 'amigáveis' é repreendida por eles
5 Vídeo: Pessoas caem de avião dos EUA que deixava o Afeganistão

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.