Leia também:
X Diretor da OMS diz que “acesso ao aborto seguro salva vidas”

Suspeita de aliciar Mary Hellen para o tráfico é presa no Paraná

Brasileira está presa desde fevereiro na Tailândia após ter sido flagrada com drogas em mala

Paulo Moura - 05/05/2022 14h22 | atualizado em 05/05/2022 15h19

Mary Hellen Foto: Reprodução/Redes Sociais

Uma mulher apontada como suspeita de ter aliciado Mary Hellen Coelho, a brasileira presa em fevereiro na Tailândia por tráfico internacional de drogas, foi detida pela Polícia Federal (PF) na manhã desta quinta-feira (5), em Curitiba, Paraná. A prisão é parte da Operação Ong Bak, que busca responsabilizar os traficantes que aliciaram Mary Hellen e outros dois homens presos no país asiático.

Além da prisão, também foram cumpridos, nesta quinta, dois mandados de busca e apreensão expedidos pela 9ª Vara da Justiça Federal em Curitiba. As medidas judiciais visavam a captura da mulher responsável pelo aliciamento e a obtenção de mais provas sobre o tráfico de drogas para o exterior.

De acordo com a PF, as investigações teriam começado logo após a prisão dos brasileiros, no início deste ano. Ainda segundo a PF, a apuração indicou que os dois homens presos em fevereiro na Tailândia já haviam viajado para o exterior, antes do período da pandemia de Covid-19, em situações que apontam que eles estariam transportando drogas.

Em nota, a corporação disse que avalia “a possibilidade de requerer à Justiça Federal a extradição dos presos na Tailândia, para que respondam pelos crimes praticados no Brasil” e ressaltou que “os investigados responderão pelos crimes de tráfico internacional de drogas e associação criminosa para o tráfico, cujas penas somadas podem alcançar 25 anos de reclusão”.

SOBRE O CASO
Mary Hellen e um amigo de 27 anos foram presos no dia 14 de fevereiro deste ano, no aeroporto de Bangkok, na Tailândia. Um outro rapaz, de 24 anos, que levava parte das drogas em outro voo, também foi preso ao desembarcar. Os três saíram de Curitiba com a cocaína distribuída nas malas.

O conteúdo das bagagens chamou a atenção de funcionários durante a inspeção do raio-X, e as malas foram revistadas. Mary Hellen e o rapaz levavam nove quilos da droga em um compartimento secreto. Já o jovem de 24 anos levava consigo 6,5 quilos de cocaína.

Conhecida pelas duras leis contra o tráfico de entorpecentes, a Tailândia pode punir o crime com prisão perpétua e até com pena de morte – com base na quantidade de drogas e nas circunstâncias.

Leia também1 Doria, Ciro e Lula "encarnam" guerreiros jedis nas redes sociais
2 Papa usa cadeira de rodas em público pela primeira vez
3 Brasil tem aumento de 2 milhões de eleitores entre 16 e 18 anos
4 Câmara aprova urgência de PL que proíbe alterações na Bíblia
5 Ciro Gomes ataca dono do Coco Bambu: 'Vagabundo e sonegador'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.