Leia também:
X Blasio: ‘Não seja como Bolsonaro, seja como Harry e Meghan’

Sobrinho do papa sofre tentativa de homicídio em ONG argentina

Criminosos invadiram sede e agrediram José Bergoglio

Thamirys Andrade - 24/09/2021 12h13 | atualizado em 24/09/2021 14h07

Papa Francisco Foto: EFE/Claudio Peri

O sobrinho do papa Francisco, José Bergoglio, foi atacado por um grupo de cinco invasores na sede da ONG Haciendo Lío, em Moron, província de Buenos Aires, segundo informou o site local Infoabe nesta quinta-feira (23).

Com o rosto coberto e armados com facas, os criminosos entraram na instituição pelas janelas, no último dia 3 de setembro, e agrediram Bergoglio com um corte na cabeça, antes de empurrá-lo das escadas. Presidente da ONG, o sobrinho do papa era o único que estava presente no local no momento do ataque.

O procurador Nicolás Filippini, que está à frente das investigações, informou que os invasores levaram uma televisão de 43 polegadas, um computador, 12 mil pesos em espécie e até mesmo duas sacolas de roupas para doação. O caso foi registrado como tentativa de homicídio e roubo.

Os escritórios e salas comerciais do prédio atacado são alvo de uma disputa há anos, pois um estrangeiro chamado Henry Edward Bafiera alega ser o dono do edifício. A ONG, porém, tem contratos registrados que comprovam a locação do espaço.

De acordo com funcionários da organização, Bafiera costuma fazer ameaças e já chegou a dizer que “iria mandar todos à m***** e matá-los”, disse Bergoglio ao portal Primer Plano. O nome de Bafiera, contudo, não foi indiciado oficialmente.

Leia também1 STF proíbe ida de missionários a terras indígenas a pedido do PT
2 Samuel Mariano revela que tentou suicídio após escândalo
3 Por "propósito de Deus", juíza abre mão de salário de R$ 57 mil
4 Bispo se apaixona por autora de livros eróticos e deixa Igreja
5 Papa Francisco reforça: 'Aborto é homicídio. Quem aborta mata'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.