Leia também:
X Nome de Lula “some” de lista da Ucrânia de acusados pró-Russia

Shakira recusa acordo e irá a julgamento por fraude fiscal

Cantora está "plenamente confiante" de sua inocência

Pleno.News - 27/07/2022 15h43 | atualizado em 27/07/2022 16h25

Shakira recusa acordo e irá a julgamento por fraude fiscal na Espanha Foto: EFE/Carlos Durán Araújo

A cantora Shakira rejeitou um acordo oferecido pelo Ministério Público na Espanha que evitaria que ela fosse julgada por quatro supostos crimes contra as autoridades fiscais. Ela decidiu ir a julgamento, por estar “plenamente confiante” de sua inocência.

A agência de comunicação da artista colombiana informou, nesta quarta-feira (27), que a equipe jurídica dela conversou com o Ministério Público de Barcelona para chegar a um acordo que reduzisse a sentença que poderia ser imposta. Porém, a própria cantora decidiu rejeitar a última oferta.

Em um comunicado, Shakira disse que escolheu “deixar o assunto nas mãos da lei, com a paz de espírito e confiança de que a justiça dará razão” a ela.

Embora a acusação e a defesa não tenham chegado a um acordo, isso ainda pode acontecer até o dia do julgamento.

A vontade de Shakira sempre foi de seguir adiante com o processo penal, sem se contentar com uma redução na pena, conforme diz o comunicado.

Para a cantora, o caso “representa uma violação total” de seus direitos, já que ela sempre teve “uma conduta impecável, como pessoa e como contribuinte, e uma total disposição para resolver quaisquer diferenças desde o início, mesmo antes do processo penal”.

Mesmo discordando da opinião de sua equipe jurídica sobre a suposta fraude fiscal, a artista devolveu 17,2 milhões de euros (R$ 91 milhões) à Receita espanhola e “durante muitos anos não houve nenhuma dívida pendente”. O valor devolvido é referente à quantia supostamente fraudada, mais juros.

Shakira disse que “nunca”, em nenhum outro país, ela encontrou “uma perseguição tão pouco razoável e feroz”, “nem um uso tão óbvio da mídia e da pressão da reputação como mecanismo de arrecadatório”.

As autoridades fiscais espanholas exigiram cerca de 14,5 milhões de euros (R$ 75 milhões) quando encontraram provas de que, em 2012, a cantora já residia na Espanha e era obrigada a pagar impostos no país, mas supostamente escondia a renda por meio de um esquema baseado em paraísos fiscais.

A artista já pagou esses 14,5 milhões de euros (R$ 75 milhões) e outros 3 milhões (R$ 16 milhões) em juros, o que não a impede de ser julgada por suposta fraude fiscal entre 2012 e 2014.

O caso data de 2017, quando uma investigação do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ) revelou que ela vivia na Espanha com o então marido, o jogador Gerard Piqué, do Barcelona, e seus dois filhos, mas supostamente estava domiciliada no paraíso fiscal das Bahamas.

No mês passado, a artista anunciou a separação do jogador, com quem esteve nos últimos 12 anos.

A investigação também alegou que a cantora administrou cerca de 31,6 milhões de euros (R$ 166 milhões) em royalties de suas canções em dois países com vantagens fiscais, Malta e Luxemburgo.

Os advogados da cantora esclareceram que ela vivia nas Bahamas desde 2004, mas nos anos seguintes teve que viajar “sem parar” e que até 2015 sua presença na Espanha não excedeu o período que a obrigava a pagar impostos, e que a gestão desses milhões de pessoas havia sido realizada desde 2007 por intermédio de uma empresa maltesa que “cumpre todos os requisitos legais”.

*EFE

Leia também1 Tribunal de Barcelona pede prisão de Neymar por corrupção
2 Gloria Perez diz ver indícios de que filha foi morta em ritual
3 Zagallo é internado no Rio com quadro de infecção respiratória
4 Dani Calabresa deixa de fazer parte do elenco fixo da Globo
5 Globo vai tirar Encontro e Mais Você do ar durante a Copa

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.