Leia também:
X Maduro vai ao México e arrisca ser preso por ordem dos EUA

Rússia: Estudante abre fogo e mata 6 pessoas em universidade

Em pânico, alunos pularam das janelas das salas

Pleno.News - 20/09/2021 08h50 | atualizado em 20/09/2021 09h38

Alunos se jogaram das janelas para fugir do atirador Foto: Reprodução

Ao menos seis pessoas morreram nesta segunda-feira (20) em um tiroteio no campus da Universidade Estadual de Perm, cerca de 1,3 mil quilômetros a Leste de Moscou. Agências internacionais dão versões diferentes sobre o atirador, que foi identificado como um estudante.

– Um estudante que estava em um dos edifícios da universidade abriu fogo contra as pessoas ao seu redor. Em consequência, seis pessoas morreram e várias ficaram feridas – afirma um comunicado do organismo responsável pelas investigações mais importantes do país.

As motivações para o crime não foram divulgadas.

Segundo a AFP e a agência Reuters, o autor dos disparos foi detido e “ficou ferido durante a detenção ao opor resistência”.

DESESPERO
Vídeos publicados nas redes sociais mostram estudantes fugindo do tiroteio e pulando pelas janelas do primeiro andar de um dos prédios do campus. Outra gravação, feita a partir de uma janela, mostra um indivíduo vestido de preto atirando e caminhando na direção da entrada do prédio.

– Havia cerca de 60 pessoas na sala de aula. Fechamos a porta e a protegemos com cadeiras – disse o estudante Semyon Karyakin à agência Reuters.

Alunos construíram barricadas com cadeiras para impedir o atirador de entrar em suas salas de aula, afirmaram testemunhas

O atirador, que foi identificado como um estudante da própria universidade, não teve o nome divulgado, entrou no campus às 11 horas (pelo horário local, 3h de Brasília), de acordo com o serviço de comunicação da universidade.

A mídia local identificou o atirador como um estudante de 18 anos que havia postado anteriormente uma foto nas redes sociais posando com um rifle, capacete e munição.

– Eu pensei sobre isso por muito tempo. Já se passaram anos e percebi que havia chegado a hora de fazer o que eu sonho – disse ele em uma conta de mídia social atribuída a ele, que mais tarde foi retirada do ar.

Ele indicou que suas ações não tinham nada a ver com política ou religião, mas foram motivadas pelo ódio.

*AE

Leia também1 CIA alertou EUA para presença de civis em ataque em Cabul
2 Maduro vai ao México e arrisca ser preso por ordem dos EUA
3 NY impõe máscara para crianças de até 2 anos em creches
4 Após erupção de vulcão, qual a chance de um tsunami atingir o Brasil?
5 Cerca de 35 mil pessoas foram afetadas por erupção de vulcão

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.