CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Morrem gêmeos siameses mais velhos do mundo

Ronaldinho Gaúcho completa 4 meses preso. Relembre caso

Jogador brasileiro foi detido com o irmão no Paraguai

Camille Dornelles - 08/07/2020 12h51 | atualizado em 08/07/2020 13h10

O jogador brasileiro Ronaldinho Gaúcho está preso no Paraguai há quatro meses. Ele foi detido junto com o irmão e empresário Roberto Assis, acusados de portar um passaporte com informações falsas.

Ronaldinho e o irmão ficaram um mês detidos em cárcere privado até que puderam seguir para prisão domiciliar. Eles então se hospedaram em um hotel da capital paraguaia, já que não podem deixar o país, e depois se mudou para um imóvel próprio. Até agora, o caso não recebeu um desfecho e é envolto por incógnitas.

Para relembrar o caso e os envolvidos na prisão do craque, o Pleno.News mostra uma retrospectiva dos acontecimentos.

POR QUE RONALDINHO FOI PARA O PARAGUAI?
Ronaldinho chegou ao Paraguai junto com Assis no dia 4 de março para ceder a sua imagem a um projeto de ajuda a crianças realizado pela empresária Dalia López através da fundação que ela presidia, além de participar da abertura de um cassino.

POR QUE ELE FOI PRESO?
Os dois irmãos deixaram o Brasil com passaportes brasileiros e mostraram os documentos com conteúdo falso às autoridades paraguaias.

O QUE RONALDINHO ALEGA?
A defesa do ex-jogador, encabeçada pelo ex-procurador Adolfo Marin, afirma que tais documentos foram um presente ao qual os dois irmãos não deram muita importância.

QUANDO FOI A PRISÃO?
Ronaldinho Gaúcho e Assis foram detidos no dia 6 de março.

O IRMÃO É O ÚNICO ENVOLVIDO?
Não. O empresário brasileiro Wilmondes Sousa foi identificado como o contato dos irmãos com a empresária paraguaia Dalia López, que gerenciou a chegada do ex-jogador ao país vizinho. Dalia é apontada pela Procuradoria Geral como a chefe de uma rede dedicada a facilitar a produção e utilização de documentos de identidade e passaportes com conteúdo falso.

Os advogados da empresária garantem que ela se limitou a confiar a alguns gerentes particulares o processo de obtenção de documentos legais paraguaios para os dois irmãos, tendo em vista a possibilidade de que eles estabelecessem negócios no país.

ELES TAMBÉM ESTÃO PRESOS?
Sousa foi libertado em 17 de junho e também está em um hotel na capital paraguaia sob prisão domiciliar imposta por um tribunal de apelação, enquanto Dalia está desaparecida desde que o caso estourou.

*Com informações da Agência EFE

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo