CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Torre Eiffel volta a receber visitantes após três meses

RD Congo declara fim do surto de ebola no noroeste do país

Segundo governo, há 42 dias não houve qualquer novo caso nas províncias de Kivu do Norte, Kivu do Sul e Ituri

Pleno.News - 25/06/2020 14h40 | atualizado em 25/06/2020 14h42

RD Congo declara fim do surto de ebola no noroeste do país Foto: Reprodução/ WHO African Region

O governo da República Democrática do Congo declarou, nesta quinta-feira (25), o fim do surto de ebola que assolava o Noroeste do país desde agosto de 2018, deixando saldo de 2.280 mortos, entre 3.463 infectados.

– A vitória sobre essa longa epidemia também se deve ao resultado da cooperação internacional, através de nossos parceiros – afirmou o ministro da Saúde local, Eteni Longondo, em entrevista coletiva.

De acordo com as informações apresentadas nesta quinta pelo governo, há 42 dias (período duas vezes maior que o de incubação do vírus) não houve qualquer novo caso nas províncias de Kivu do Norte, Kivu do Sul e Ituri.

O escritório da Organização Mundial de Saúde (OMS), na República Democrática do Congo, divulgou uma mensagem nas redes sociais sobre a confirmação da erradicação do vírus no noroeste do território.

– Parabéns ao governo, ao Ministério da Saúde e ao povo da RDCC por essa vitória contra um dos surtos de ebola mais longos e mais mortais da história – destacou o texto.

Declarado em 1º de agosto de 2018, o surto foi o primeiro ocorrido em uma zona de conflito, como o noroeste da RDC, o que complicou a resposta das autoridades contra a doença.

Além disso, a propagação aconteceu próxima a grandes centros urbanos, marcada por “zonas vermelhas”, que eram diversas regiões com dificuldades de acesso, por causa da presença de grupos armados.

Mundialmente, este foi o segundo pior surto de ebola da história do continente, depois da que atingiu a África Ocidental, entre 2014 e 2016, em que morreram 11,3 mil pessoas, em 28,5 mil casos. A OMS, no entanto, admitiu que os números podem ser conservadores.

*Com informações da Agência EFE

Leia também1 Torre Eiffel volta a receber visitantes após três meses
2 Ativistas destroem estátua de defensor do fim da escravidão
3 Vídeo mostra funcionários de TV assustados por terremoto
4 Terremoto no México deixa mortos e feridos. Veja fotos!
5 Nuvem de poeira vinda da África se aproxima dos EUA

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo