Leia também:
X Nike processa empresa por tênis “satânico” com sangue humano

Premiê da Eslováquia é o 1º líder a cair devido à pandemia

Disputa das vacinas contra Covid-19 foi um dos estopins

Pleno.News - 30/03/2021 18h22 | atualizado em 30/03/2021 18h25

O primeiro-ministro da Eslováquia, Igor Matovic, e seu governo de centro-direita renunciaram nesta terça-feira (30), para superar uma crise política causada por sua gestão da pandemia e pela compra escondida de seus parceiros de coalizão da vacina russa contra o Coronavírus, a Sputnik V, ainda não liberada pela União Europeia.

O eslovaco é o primeiro líder da UE e global a cair devido à gestão da pandemia, mas a medida vai manter a atual coalizão no poder e evitar eleições antecipadas, ainda que existam muitas incógnitas sobre seu futuro.

A presidente do país, Zuzana Caputova, designou o ministro das Finanças, Eduard Heger, para sucedê-lo durante uma cerimônia na capital, Bratislava, com a participação dos três políticos, transmitida ao vivo pela televisão eslovaca.

– Quando um ano equivale a dez da sua vida (…). Foi uma honra e obrigado – escreveu Matovic nas redes sociais, antes da cerimônia.

Matovic assumirá a pasta das Finanças no lugar de Heger, o novo primeiro-ministro designado. Ambos pertencem à mesma formação populista – OLaNO.

Heger, de 44 anos, é um aliado próximo de Matovic no partido que chegou ao poder com a promessa de acabar com a corrupção, mas perdeu grande parte de sua popularidade após vencer com 25% dos votos as eleições legislativas de fevereiro do ano passado.

Eduard Heger será o novo premiê Foto: Jakub Gavlak/EFE

A Eslováquia foi, por iniciativa do primeiro-ministro, o primeiro país do mundo a realizar, em dois fins de semana consecutivos no início de novembro, teste em todos os habitantes com mais de 10 anos, o que permitiu o isolamento de mais de 50 mil pessoas que testaram positivo.

No entanto, essa estratégia não funcionou e não serviu para conter a propagação do vírus nesse país da Europa Central.

Além disso, devido à falta de coordenação e de um sistema de rastreamento e detecção de infecções, as novas cepas mais contagiosas da Covid, como a mutação britânica, não puderam ser isoladas logo, o que desencadeou – durante a terceira onda – os altos índices de contágio e morte.

A Eslováquia, país da zona euro, com 5,5 milhões de habitantes, tem uma das maiores taxas de mortalidade por Covid-19 e de contágios pelo Coronavírus do mundo. Atualmente, a taxa de mortalidade é de 217 por 1 milhão, a terceira maior da Europa, depois da República Checa e Hungria.

Foi neste contexto de crise sanitária, com hospitais no limite, que Matovic tomou a decisão unilateral de comprar 2 milhões de doses da vacina russa ainda não homologada na União Europeia. Essa decisão foi criticada pela presidente eslovaca, que expressou que ela deixava subentendida uma orientação externa do país em relação à UE e à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). A medida desencadeou um processo de desintegração do governo, no qual seis ministros renunciaram em poucas semanas

De acordo com uma pesquisa de 21 de março, mais de 80% dos eslovacos queriam a renúncia de Matovic.

Heger, o novo premiê, tem 44 anos, é um ex-economista e empresário conhecido pelo seu pragmatismo. Ele assumiu como ministro das Finanças em março de 2020.

*Estadão

Leia também1 Covid: Ex-secretário de Trump denuncia 'farsa' da China e OMS
2 SUS: AGU recorre da liberação de sindicatos de doarem vacinas
3 Chile estuda adiar eleições de abril por alta de casos de Covid
4 EUA e mais 13 países se juntam pedindo 'transparência' à OMS
5 Nova ministra já comemorou vitória de Kamala e elogiou Maia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.