Leia também:
X Promotor fala sobre casal que torturava os filhos

Trump volta a polemizar com veículos de comunicação

Presidente dos EUA cria Prêmio Fake News, mas imprensa contabiliza 2000 afirmações falsas dele

Emerson Rocha - 19/01/2018 15h49

Trump criou Prêmio Fake News para imprensa americana Foto: EFE/Ron Sachs/POOL

Prestes a completar um ano no cargo de presidente dos Estados Unidos, Donald Trump utilizou sua conta no Twitter para atacar novamente os meios de comunicação. Na noite desta quarta-feira (17), ele chegou a criar o “Prêmio Fake News”.

Na postagem, Trump colocou ainda um link para o site do Partido Republicano, onde se encontrava a lista completa. Mas minutos depois dessa chamada do presidente norte-americano, a página deixou de funcionar.

– O ano de 2017 foi particularmente feroz, com uma cobertura mediática desonesta e mesmo informações falsas descaradas. Estudos demonstraram que mais de 90% da cobertura mediática do Presidente Trump é negativa – dizia a abertura do texto, que tinham críticas principalmente a cadeia de televisão CNN e os jornais The New York Times e o Washington Post.

Ao mesmo tempo, a imprensa também contabilizou as afirmações falsas feitas por Trump, durante o período à frente da Casa Branca. Segundo o Washington Post, o presidente dos EUA já acumula mais de 2000 frases enganadoras.

Algumas das afirmações ficaram famosas, nas redes sociais:

– Nós podemos construir o muro em um ano e nós podemos construir com muito menos dinheiro do que eles estão dizendo.

– Nós temos números absurdos de pessoas e drogas entrando em nosso país. Então para mantermos a segurança (da fronteira) precisamos de um muro.

Ele também teria se enganado em questões sobre a gestão de Barack Obama, situação econômica do país e até sobre as taxas de desemprego.

Leia também1 Livro polêmico sobre Trump vai se tornar série de TV
2 Filho de Trump defende o pai: 'Ele só vê a cor do dinheiro'

Siga-nos nas nossas redes!
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.