Leia também:
X EUA: Biden quer “vacinar 100 milhões” nos primeiros 100 dias

Senado da Argentina aprova lei que legaliza aborto no país

Medida recebeu 38 votos favoráveis e 29 contrários dos parlamentares do Senado

Paulo Moura - 30/12/2020 07h21 | atualizado em 30/12/2020 10h30

Protestos antiaborto, na Argentina Foto: Reprodução/ Marcha Por La Vida/ Defensor de Vida/ Secundarios por La Vida MDQ/ Lali Gomez/ Pastor Ale Gomez

Após cerca de 12 horas de debate, o Senado da Argentina aprovou, na madrugada desta quarta-feira (30), o projeto de lei que legaliza a prática de aborto no país sul-americano. A ação, que teve autoria do presidente Alberto Fernández, recebeu 38 votos a favor, 29 contra, e um dos parlamentares se absteve.

O texto estabelece que as mulheres agora terão direito a interromper voluntariamente a gravidez até a 14ª semana de gestação. Após este período, o aborto será permitido apenas em casos de risco de vida para a gestante ou quando a concepção for fruto de um estupro.

O projeto de lei havia sido aprovado pela Câmara no dia 11 de dezembro. Na ocasião, a proposta recebeu 131 votos favoráveis e 117 contrários dos deputados. Seis parlamentares se abstiveram.

O projeto voltou à pauta pela segunda vez em menos de três anos. De autoria do governo Fernández, a proposição chegou ao Congresso semanas atrás, seguindo uma promessa do então candidato da oposição a Mauricio Macri.

Leia também1 Senadores da Argentina votam legalização do aborto nesta terça
2 Argentina dá início à vacinação contra a Covid com a Sputnik V
3 Pandemia: Argentina volta a barrar entrada de brasileiros
4 Argentina recebe 1º lote de doses da vacina Sputnik V, da Rússia
5 Covid: Argentina decide proibir a entrada de estrangeiros

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.