Leia também:
X Bolsonaro e Johnson combinam de pedir cessar-fogo na Ucrânia

Sanções já estão tendo ‘impacto profundo’ na Rússia, diz Biden

Presidente dos EUA afirmou que seu país irá continuar apoiando a Ucrânia

Henrique Gimenes - 03/03/2022 21h41 | atualizado em 04/03/2022 10h35

Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden Foto: EFE/EPA/Michael Reynolds

Nesta quinta-feira (3), o presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, falou sobre a invasão da Ucrânia pela Rússia e disse que os russos já estão sentindo um “impacto profundo” devido às sanções impostas por outros países.

O ataque da Rússia à Ucrânia ocorreu na madrugada do dia 24 de fevereiro. O anúncio da “operação militar no leste da Ucrânia” foi feito pelo presidente russo, Vladimir Putin, em um discurso transmitido na televisão. De acordo com ele, o objetivo era “proteger as pessoas que são submetidas a abusos, genocídio de Kiev durante oito anos”, e, para isso, ele buscaria “desmilitarizar e desnazificar a Ucrânia e levar à Justiça aqueles que cometeram vários crimes sangrentos contra pessoas pacíficas, incluindo cidadãos russos”.

Diante da invasão, os EUA e outros países do G7, as sete maiores economias do mundo, decidiram aplicar punições à Rússia.

Ao comentar a situação, Biden afirmou que os EUA irão continuar apoiando a Ucrânia.

– O objetivo era maximizar o impacto sobre Putin e a Rússia e minimizar os danos sobre nós e nossos aliados e amigos em todo o mundo (…) Vamos continuar a apoiar o povo ucraniano com assistência direta – apontou.

Leia também1 Governo Bolsonaro concede visto humanitário a ucranianos
2 Governo projeta abastecimento de fertilizantes até outubro
3 Ucrânia: Mais de 100 brasileiros se ofereceram para ir à guerra
4 Ucrânia: Feministas pedem fim do alistamento para mulheres
5 Rússia x Ucrânia: 'O Brasil continua numa posição de equilíbrio', diz Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.