Leia também:
X Rússia admitiu uso de bombas termobáricas, diz Reino Unido

Rússia reforçará presença nas fronteiras com países da Otan

Medida acontecerá com base em um pedido do presidente do país, Vladimir Putin, ao ministro da Defesa, Sergey Shoigu

Pleno.News - 11/03/2022 09h40 | atualizado em 11/03/2022 10h00

Presidente da Rússia, Vladimir Putin Foto: EFE/EPA/MIKHAIL KLIMENTYEV / KREMLIN / SPUTNIK / POOL

A Rússia reforçará a presença militar nas fronteiras do oeste, as que têm com países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). A decisão acontecerá com base em um pedido do presidente do país, Vladimir Putin, ao ministro da Defesa, Sergey Shoigu. Segundo informações desta sexta-feira (11), da agência local de notícias TASS.

O veículo de comunicação indicou que o chefe de Estado explicou, durante uma reunião do Conselho de Segurança russo, que o fortalecimento das fronteiras ocidentais do país tem relação “com as ações que os países da Otan adotaram na mesma direção”.

– Em um futuro próximo, adotaremos as correspondentes decisões – declarou Putin, ainda segundo a TASS.

O ministro da Defesa garantiu na reunião que o comando das Forças Armadas russas está trabalhando em um plano “que está perto de ser finalizado” e que incluiria um “sistema avançado de mísseis”. Também está previsto o envio de “unidades de combate para proteger as fronteiras do oeste”, indicou a agência de notícias.

Shoigu informou, na reunião do Conselho de Segurança, que as forças armadas da Rússia estão analisando todas as medidas que foram adotadas pelas tropas do ocidente perto da fronteira com o país.

– A cada dia chegam e são enviadas mais unidades. Desejam aproveitar a situação para aumentar ao máximo suas forças do outro lado da fronteira e perpetuar a presença – afirmou o ministro da Defesa, de acordo om a TASS.

A crescente presença da Otan nas proximidades com as regiões limítrofes do território russo é considerada por Moscou como uma ameaça. Essa foi umas das justificativas utilizadas para o início da invasão da Ucrânia.

Desde o primeiro momento, a Rússia vem defendendo que o país vizinho não passe a fazer parte da aliança.

No último gesto para fortalecer as forças ocidentais perto da fronteira com o território russo, a vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, que está em visita ao Leste Europeu, confirmou na quinta-feira (10) o envio para a Polônia de duas baterias de sistema antimísseis Patriot.

*EFE

Leia também1 Rússia admitiu uso de bombas termobáricas, diz Reino Unido
2 Rússia diz que EUA financiaram pesquisa sobre armas biológicas na Ucrânia
3 Ex-Miss Ucrânia conta como escapou durante bombardeio
4 Rússia dá 'ultimato' e ameaça nacionalizar multinacionais
5 Boris Johnson alerta para o uso de armas químicas pela Rússia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.