Leia também:
X Kiev decreta toque de recolher após expansão de ofensiva russa

Rússia critica o governo da Ucrânia por “armar civis”

Porta-voz do Ministério da Defesa disse que isso "levará inevitavelmente a acidentes e baixas”

Henrique Gimenes - 26/02/2022 17h42 | atualizado em 27/02/2022 10h00

Rússia faz exercícios militares na fronteira com a Ucrânia
Militares russos na fronteira com a Ucrânia Foto: EFE/EPA/ Ministério de Defesa da Rússia

Neste sábado (26), o Ministério da Defesa da Rússia criticou o governo da Ucrânia por distribuir armas para a população. O posicionamento foi dado pelo porta-voz do Ministério da Defesa, major-general Igor Konashenkov.

A medida foi adotada pela Ucrânia após a invasão russa ocorrida na madrugada de quinta-feira (24). O anúncio da “operação militar no leste da Ucrânia” foi feito pelo presidente russo, Vladimir Putin, em um discurso transmitido na televisão na madrugada de quinta-feira (24). De acordo com ele, o “objetivo é proteger as pessoas que são submetidas a abusos, genocídio de Kiev durante oito anos, e, para isso, buscaremos desmilitarizar e desnazificar a Ucrânia e levar à Justiça aqueles que cometeram vários crimes sangrentos contra pessoas pacíficas, incluindo cidadãos russos”.

Ao comentar o armamento de civis ucranianos, major-general Igor Konashenkov disse que isso “levará inevitavelmente a acidentes e baixas”.

– O regime nacionalista de Kiev distribui massiva e incontrolavelmente armas leves automáticas, lançadores de granadas e munição para moradores de assentamentos ucranianos – destacou.

Leia também1 Kiev decreta toque de recolher após expansão de ofensiva russa
2 Ucrânia recusa ultimato da Rússia: "Condições inegociáveis"
3 Rússia vai expandir ofensiva na Ucrânia 'para todas as direções'
4 Em meio à guerra, site oficial do governo russo fica fora do ar
5 Três seleções se recusam a jogar contra a Rússia no futebol

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.