Leia também:
X Nas Filipinas, menina de 13 anos é obrigada a se casar

Recontagem na Geórgia acha 2,6 mil cédulas não contabilizadas

Votos não apurados apresentam uma diminuição da diferença entre Biden e Trump

Paulo Moura - 18/11/2020 11h21 | atualizado em 18/11/2020 11h44

Cédulas de votação são conferidas em Atlanta, na Geórgia Foto: EFE/EPA/Erik S. Lesser

A recontagem de votos no estado da Geórgia encontrou cerca de 2.600 cédulas não computadas no condado de Floyd, cujos votos devem contribuir para a redução da vantagem do democrata Joe Biden sobre o presidente Donald Trump no território em aproximadamente 800 pessoas.

Ao todo, as cédulas descobertas mostraram 1.643 votos para Trump contra 865 de Biden, diferença que ajudaria a diminuir a vantagem do democrata para o republicano em 778 votos. Segundo o gerente de votação do estado, Gabriel Sterling, o problema ocorreu por que funcionários não carregaram os votos na máquina que faz a leitura das cédulas.

– Não é um problema de equipamento. É uma pessoa que não está executando seu trabalho adequadamente. Este é o tipo de situação que requer uma mudança no topo da administração – disse.

Segundo Luke Martin, presidente do Partido Republicano do Condado de Floyd, os votos não contados foram dados durante a votação pessoal no Edifício Administrativo do Condado de Floyd, que inclui o escritório eleitoral do condado. Mais da metade das 5 mil cédulas impressas lançadas em um scanner óptico não foram registradas inicialmente.

– É muito preocupante, mas isso não parece ser um problema generalizado. Estou feliz que a auditoria tenha revelado isso e é importante que todos os votos sejam contados – relatou Martin.

As cédulas não contabilizadas ​no condado de Floyd são a questão mais significativa encontrada até agora durante a recontagem da Geórgia. O secretário de Estado, Brad Raffensperger, disse que os números recontados de outros condados se aproximam dos números originais.

O diretor estadual de eleições, Chris Harvey, declarou que as cédulas devem ser verificadas novamente e tabuladas até esta sexta-feira (20). Segundo ele, o objetivo da auditoria é justamente encontrar problemas ocorridos durante a apuração original.

– Todos os votos serão enviados e os resultados serão o que são – declarou Harvey.

Leia também1 Trump diz que recontagem de votos na Geórgia é falsa
2 Trump critica decreto que torna impossível verificar cédulas
3 EUA: Procurador renuncia após investigação de fraude eleitoral
4 Trump: 'Mídia não pode indicar quem será o próximo presidente'
5 Campanha de Donald Trump diz que "eleições não acabaram"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.