Leia também:
X ‘Nova grávida de Taubaté’: Parto de 10 bebês pode ter sido farsa

Putin nega ataque hacker aos EUA e deixa Biden insatisfeito

Líder russo afirmou ainda que os EUA são "os maiores infratores"

Pleno.News - 16/06/2021 18h18

Presidentes Vladimir Putin e Joe Biden em Genebra Foto: EFE/EPA/Pool/Denis Balibouse

O presidente russo Vladimir Putin, falando a repórteres após reunião privada com o presidente americano Joe Biden, nesta quarta-feira (16), negou que a Rússia tenha desempenhado qualquer papel em uma onda de ataques cibernéticos cada vez mais ousados contra as instituições dos EUA e disse que os EUA foram os maiores infratores.

Os comentários do líder russo sugeriram que ele não estava interessado em discutir o que Biden havia imposto ser um objetivo-chave das negociações: estabelecer salvaguardas sobre quais tipos de ataques à infraestrutura estão proibidos em tempos de paz.

Putin sugeriu que houve algum tipo de acordo para estabelecer grupos de especialistas para examinar essas questões, mas as autoridades americanas temem que seja pouco mais do que uma manobra para encerrar o assunto em uma cúpula tensa.

Saindo de sua primeira reunião com Biden desde sua eleição como presidente dos Estados Unidos, Putin começou dizendo que as negociações haviam corrido bem – mas logo ficou claro que as tensões entre os países provavelmente não diminuirão significativamente tão cedo.

– Não houve hostilidade. Pelo contrário, o nosso encontro decorreu com um espírito construtivo. Ambos os lados expressaram sua intenção de se entender e buscar um terreno comum. As conversas foram bastante construtivas – afirmou, sem dar detalhes.

O envolvimento diplomático de alto risco veio no final de uma turnê europeia turbulenta para Biden, na qual ele buscou reconstruir e fortalecer as alianças tradicionais que muitas vezes reforçaram a posição dos Estados Unidos durante a Guerra Fria. Foi uma reunião carregada de história e repleta de desafios.

Biden argumentou que o mundo está em um “ponto de inflexão”, com uma batalha existencial em andamento entre democracia e autocracia. E com Putin na vanguarda dos autocratas, o líder americano enfrentou críticas de alguns setores por até mesmo participar da cúpula.

Em um reflexo das sensibilidades do simbolismo, a Casa Branca insistiu que os líderes realizassem coletivas de imprensa independentes, com Putin falando primeiro.

“Não acho que tenha havido qualquer tipo de hostilidade”, disse Putin, mesmo depois de observar que havia “opiniões divergentes” sobre questões fundamentais. Os dois lados, disse ele, estão determinados a trabalhar “para se entender” e encontrar áreas de convergência.

*Estadão com NYT

Leia também1 Paul Pogba segue gesto de CR7 e "rejeita" Heineken em coletiva
2 Última coisa que Putin quer é uma nova Guerra fria, diz Biden
3 Biden: Morte de Navalny teria consequências "devastadoras"
4 Padre defende a Bíblia e critica casamento homossexual
5 Dólar fica abaixo de R$ 5 pela primeira vez em mais de 1 ano

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.