Leia também:
X Filha de Nicette Bruno responde bem ao tratamento, diz irmã

Paraguai investiga vacinação irregular de 500 pessoas

Ministro da saúde disse que o governo será "implacável" com os possíveis responsáveis

Pleno.News - 03/05/2021 16h45 | atualizado em 03/05/2021 17h09

Ministério da Saúde do Paraguai investiga vacinação irregular de 500 pessoas Foto: Freepik

O ministro da Saúde do Paraguai, Julio Borba, anunciou nesta segunda-feira (3) que a pasta está investigando a possível vacinação irregular de cerca de 500 pessoas e garantiu que o governo será “implacável” com os possíveis responsáveis.

O registro dos vacinados no Paraguai é público, razão por que os próprios cidadãos estão denunciando casos de pessoas que receberam a dose sem estarem na faixa etária correspondente à fase atual da imunização, para cidadãos com 75 anos ou mais.

Borba agradeceu a sociedade pelo “controle efetivo” dos vacinados e destacou que, graças a esse trabalho, apareceram nas redes sociais “listas de 200 pessoas vacinadas de forma irregular”.

– Estamos verificando, por conta própria, um registro de cerca de 500 pessoas vacinadas que levanta dúvidas sobre em quais circunstâncias tiveram acesso ao imunizante – disse o ministro

Ele deu declarações durante uma entrevista coletiva.

Diante dessas situações, o Ministério da Saúde paraguaio solicitou aos dirigentes de saúde de cada região informações sobre as condições em que ocorreram essas vacinações, a fim de encaminhar essa documentação à Diretoria de Assessoria Jurídica.

Além disso, Borba deu instruções para acelerar todos os processos que dizem respeito a essas investigações, cujo prazo normal costuma durar cerca de 60 dias.

– Aplicaremos as sanções pertinentes às pessoas que não cuidaram do bem público mais precioso do Paraguai neste momento – ressaltou.

Até o momento, cinco pessoas foram destituídas de cargos diretivos e outro grupo também está sendo afastado de suas ocupações, embora o ministro não tenha especificado o número.

Entre as 500 pessoas investigadas por vacinação irregular estão os nomes de alguns políticos que, por idade, ainda não deveriam ter sido vacinados, como a senadora Mirta Gusinky e o deputado do Parlamento do Mercosul Celso Troche.

Borba garantiu que não haverá exceções ou distinções nos processos de investigação e que todos serão encaminhados ao Ministério Público se a Diretoria de Assessoria Jurídica assim entender.

CHEGADA DE VACINAS
Também nesta segunda-feira, o ministro anunciou que o Paraguai espera receber outro lote da vacina russa Sputnik V na primeira quinzena de maio, embora sem especificar o número de doses que chegarão desta vez.

O país vacinou 118 mil pessoas até a noite de domingo, conforme especificou em entrevista coletiva o diretor do Programa Ampliado de Imunizações (PAI), Héctor Castro.

Castro aproveitou também para estimular a população com mais de 75 anos a exercer “o direito e o privilégio de receber vacinas”, uma vez que ainda existem idosos relutantes em se imunizar.

Por sua vez, a vice-ministra de Reitoria e Vigilância Sanitária, Lida Sosa, anunciou que nesta sexta-feira se reunirá com a equipe do PAI para avaliar o andamento desta fase de vacinação e estudar a possibilidade de rebaixamento da faixa etária.

Com cerca de 7 milhões de habitantes, o Paraguai acumula 281.023 casos de coronavírus desde o início da pandemia, com 6.572 mortes e 233.453 recuperados, segundo relatórios do Ministério da Saúde.

*Com informações da Agência EFE

Leia também1 México: Juiz absolve sócio de El Chapo 'às pressas' na madrugada
2 Peruano de 121 anos é vacinado contra o novo coronavírus
3 Novo Congresso de El Salvador destitui juízes da Suprema Corte
4 Coreia do Norte alerta os EUA sobre "crise além do controle"
5 Presidente da Colômbia anuncia uso do Exército 'contra protestos'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.