CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Para evitar Covid-19, Cunha passa para prisão domiciliar

Pandemia une palestinos e israelenses contra a Covid-19

Parcerias entre os povos buscam diminuir a proliferação da doença pela região

Paulo Moura - 27/03/2020 08h00 | atualizado em 27/03/2020 08h01

Trégua entre israelenses e palestinos foi motivada pelo combate contra Covid-19 Foto: Reprodução

Um dos conflitos mais longos, e violentos, da história da humanidade recebeu uma trégua diante da pandemia de Covid-19 que afeta o mundo inteiro. Estamos falando de palestinos e israelenses que, juntos, criaram um gabinete comum para combater o novo coronavírus.

– Este é o momento de deixar de lado as nossas diferenças e trabalhar em conjunto contra a pandemia, que não distingue entre árabes e judeus – disse um dos responsáveis pela Autoridade Palestina, órgão de governo palestino.

O porta-voz da Autoridade Palestina, Ibrahim Milhem, disse que a cooperação é necessária para combater a proliferação do vírus, que exige medidas firmes.

– As nossas fronteiras comuns e relações não deixam espaço de hesitação para tomar medidas severas e cooperar ao mais alto nível para evitar a propagação do vírus – afirmou Milhem.

O chefe do departamento internacional da Administração Civil de Israel, Yotam Shefer, afirmou que, nas últimas três semanas, o Gabinete do Coordenador para as atividades nos Territórios, em parceria com o Ministério da Saúde, tem trabalhado para ajudar os palestinos na luta contra o coronavírus.

– A saúde de todos os cidadãos da região está acima de tudo, e é nossa principal prioridade. Continuaremos a agir em colaboração com a Autoridade Palestina em um esforço conjunto – disse.

MEDIDAS
Entre as estratégias adotadas para evitar o aumento do contágio da Covid-19 pela região estão o envio de 20 toneladas de desinfetante feitos por Israel para a Cisjordânia.

Além disso, os israelenses enviaram 400 kits de testes para detectar o vírus e outros 500 itens de proteção para as forças de segurança e equipes de saúde. Algumas análises de casos palestinos, inclusive, foram feitas em hospitais israelitas.

Agentes de saúde de ambos os locais estão trabalhando para conscientizar a população sobre o perigo da doença. Também teve início um controle da fronteira e dos trabalhadores que passam pelo local diariamente.

Leia também1 Câmara aprova projeto com ajuda de R$ 600 a informais
2 Cidades registram "buzinaços" por reabertura de comércios
3 SC planeja retomada das atividades econômicas

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo