Leia também:
X Problemas ambientais podem piorar sem acordo Mercosul/UE

Na ONU, Macron critica sanções defendidas por Donald Trump

EUA decidiram retomar punições ao Irã, no sábado

Pleno.News - 22/09/2020 18h24

Na ONU, Macron, Erdogan e Putin criticam sanções defendidas por Trump Foto: EFE/EPA/Manuel Elias / UN Photo

O presidente francês, Emmanuel Macron, usou seu discurso na Assembleia Geral da ONU para deixar claro que França, Alemanha e Reino Unido discordam das ações recentes dos Estados Unidos em relação ao Irã. Em seus discursos, os presidentes Recep Erdogan (Turquia) e Vladimir Putin (Rússia) foram na mesma linha: defenderam o cumprimento do acordo nuclear de 2015, o uso da lei internacional para resolver os problemas e criticaram o uso de sanções.

– A França, com seus aliados alemães e britânicos, manterá sua demanda pela implementação total e plena do acordo de Viena de 2015. [Retomar as sanções] seria um atentado contra a unidade do Conselho de Segurança, contra a integridade de suas decisões e significaria o risco de agravar ainda mais as tensões na região. A estratégia de pressão máxima [de Trump] não permitiu acabar com as atividades desestabilizadoras do Irã, nem garantir que o país não será capaz de se munir de uma arma nuclear – disse Macron à ONU.

No sábado (19), o governo de Donald Trump anunciou a volta de um conjunto de sanções ao Irã que haviam sido retiradas com o acordo nuclear de 2015.

As sanções da ONU são estabelecidas e retiradas pelo Conselho de Segurança. Atualmente, 13 de seus 15 membros defendem manter a suspensão dos bloqueios, que impedem outras empresas e governos de fazer negócios com iranianos.

O governo Trump, porém, prometeu consequências a qualquer Estado membro da entidade que não respeitar as sanções. A ameaça é significativa: Washington promete negar acesso ao sistema financeiro e ao mercado americano caso alguém as desobedeça.

Recep Erdogan, presidente da Turquia, também se posicionou a favor do acordo de 2015.

– Nós defendemos a resolução de problemas referentes ao programa nuclear do Irã levando o direito internacional em consideração e através do diálogo e da diplomacia. Eu reafirmo nosso chamado para todas as partes a manter suas responsabilidades dentro do Plano de Ação [de 2015], que provê sérias contribuições para a segurança global – disse o líder turco.

Nesta terça, Trump e Macron tiveram uma conversa telefônica para tratar da crise entre a Turquia e a Grécia, que disputam uma área do mar Mediterrâneo onde são feitas buscas por reservas de gás natural.

Grécia e Turquia concordaram nesta terça em retomar conversas diretas sobre a questão, após quatro anos de afastamento. A data para isso, no entanto, não foi informada.

O presidente russo, Vladimir Putin, fez outra crítica às sanções.

– Em geral, liberar o comércio mundial de barreiras, vetos, restrições e sanções ilegítimas seria de grande ajuda para fortalecer o crescimento global e reduzir o desemprego – disse, em seu discurso para a ONU.

Em sua fala, Putin também enalteceu o projeto da vacina russa contra o coronavírus, e disse estar aberto a cooperação internacional sobre o tema.

*Folhapress

Leia também1 EUA anunciam novas sanções contra Nicolás Maduro e Irã
2 Problemas ambientais podem piorar sem acordo Mercosul/UE
3 Trump sobe o tom: "China tem que prestar contas sobre praga"
4 Entenda a tradição que faz Brasil abrir as Assembleias da ONU
5 Confira o discurso do presidente Jair Bolsonaro na ONU

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.