Leia também:
X Príncipe Charles aceitou mala com dinheiro do Catar, diz jornal

Míssil atinge shopping com mais de mil pessoas na Ucrânia

Presidente ucraniano responsabiliza a Rússia pelo atentado: "Impossível de imaginar o número de vítimas"

Gabriel Mansur - 27/06/2022 13h04

Míssil atinge shopping na Ucrânia Foto: Reprodução/Twitter

Um shopping na cidade de Kremenchuk, no centro da Ucrânia, foi atingido por um míssil nesta segunda-feira (27). Era quase noite no horário local. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, responsabiliza a Rússia pelo atentado e destaca que o edifício estava lotado na hora do ataque, com mais de mil pessoas, o que torna “impossível de imaginar” o número de vítimas fatais.

De acordo com o gabinete presidencial, há ao menos duas pessoas mortas e mais de 20 feridos por enquanto. Em uma mensagem compartilhada em seu Telegram, o mandatário ucraniano disse que o prédio “não representava nenhum risco para o Exército russo. Nenhum valor estratégico. Apenas a tentativa do povo viver uma vida normal”.

– Os ocupantes dispararam um míssil contra um shopping onde havia mais de mil civis. O shopping está em chamas e as equipes de resgate combatem o fogo. O número de vítimas é impossível de imaginar – publicou o presidente.

O chefe de Estado ucraniano acompanhou sua mensagem com um vídeo que mostra o centro comercial pegando fogo, com grandes colunas de fumaça e caminhões dos bombeiros.

– O tiro de míssil em Kremenchuk atingiu um local muito movimentado sem qualquer relação com as hostilidades – denunciou no Facebook, Vitali Maletsky, prefeito desta cidade que tinha cerca de 220 mil habitantes antes da guerra.

O governador regional, Dmytro Lunin, denunciou um “crime de guerra” e um “crime contra a humanidade”, bem como um “ato de terror não dissimulado e cínico contra a população civil”.

Leia também1 Estados Unidos: Biden assina lei que restringe compra de armas
2 Vaticano diz que decisão sobre aborto "interpela mundo inteiro"
3 EUA: Ao menos 13 estados já irão derrubar o "direito ao aborto"
4 Contrariado, Biden defende que direito ao aborto vire lei nos EUA

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.