Leia também:
X Presidente conservador da Polônia é reeleito

Líder do Black Lives Matter quer abolir polícia em 5 anos

YahNé Ndgo disse que "não quer ver polícia na comunidade" dentro do intervalo de meia década

Paulo Moura - 13/07/2020 13h37 | atualizado em 13/07/2020 13h51

Ativista pediu extinção da polícia na Filadélfia Foto: Reprodução/Fox News

Uma das lideranças do movimento esquerdista Black Lives Matter no estado da Filadélfia, leste dos Estados Unidos, pediu a “abolição completa” do departamento de polícia local dentro de um intervalo de cinco anos, além da demolição de bases militares no exterior. A declaração foi dada pela ativista YahNé Ndgo em conversa com a Fox News.

– Uma das coisas que exigimos ao longo de cinco anos é a abolição completa. Não queremos ver nenhuma polícia em nossa comunidade. Ao longo desses cinco anos, dá tempo para a comunidade começar a construir o que é necessário. Não queremos deixar nenhum tipo de vaga em torno da questão da segurança – disse.

A ativista ainda alegou que a polícia fez pouca coisa para tornar as comunidades locais mais seguras e disse que a autoridade “não é um recurso para impedir que o crime aconteça”. A sugestão, segundo ela, é cuidar da saúde dos usuários de drogas, já que a maioria dos crimes estaria relacionada ao uso de entorpecentes.

– Muitas vezes, se houver violência acontecendo, quando a polícia chegar, isso já ocorreu e particularmente em bairros pobres e em comunidades negras e pardas. Portanto, a polícia não é realmente um recurso para impedir que esse tipo de crime aconteça. Apenas uma resposta – relatou.

Leia também1 Trump usa o Cristo em pedido por preservação de estátuas
2 Kanye West critica a violência contra negros em novo clipe
3 EUA prendem mais de 100 por vandalismo contra estátuas
4 Trump ordena que governo prenda quem atacar estátuas
5 Wesley Ros: "Eu sou atacado diretamente por negros"

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.