Leia também:
X Prefeitura de Buenos Aires proíbe pronome neutro nas escolas

Inflação em 12 meses na Argentina atinge 60,7% em maio

Informação foi divulgada nesta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística e Censos

Pleno.News - 14/06/2022 19h44 | atualizado em 15/06/2022 10h58

Inflação em 12 meses na Argentina atinge 60,7% em maio Foto: Pixabay

Os preços ao consumidor na Argentina acumularam uma forte alta de 60,7% em maio em relação ao mesmo mês em 2021. A informação foi divulgada nesta terça-feira (14) pelo Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec).

Além disso, a variação dos preços em maio, na comparação com abril, avançou 5,1%, mostrando uma desaceleração em relação às altíssimas taxas mensais registradas no próprio mês de abril (6%) e em março (6,7%). Os bens no mês passado tiveram alta de 5,3% em relação a abril, enquanto os serviços subiram 4,3%.

Entre os aumentos registrados em maio, destacam-se os dos setores de saúde (6,2%), transporte (6,1%) e alimentos (4,4%).

Os preços ao consumidor haviam acumulado no ano passado um aumento de 50,9%, uma aceleração em relação aos 36,1% verificados em 2020.

Para este ano, o governo argentino havia inicialmente projetado uma taxa de inflação anual de 33%, mas o acordo de refinanciamento de uma dívida de cerca de US$ 44 bilhões com o Fundo Monetário Internacional (FMI) assinado em março pelo governo de Alberto Fernández incluía uma projeção de inflação de 38% a 48%.

Além disso, as previsões privadas mais recentes coletadas mensalmente pelo Banco Central indicam que a inflação será de 72,6% neste ano e de 60% em 2023.

*EFE

Leia também1 Prefeitura de Buenos Aires proíbe pronome neutro nas escolas
2 Argentina registra 251 vítimas de feminicídio em 2021
3 Argentina aumenta preço de combustíveis em 9%
4 Cristina Kirchner nega briga com Alberto Fernández
5 Argentina aprova uso médico de produtos à base de cannabis

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.