Leia também:
X OMS: Após Ômicron, é possível que pandemia acabe na Europa

EUA esvaziam embaixada na Ucrânia e orientam saída do país

Departamento de Estado afirma que pode haver uma invasão russa a qualquer momento

Pleno.News - 23/01/2022 22h18 | atualizado em 24/01/2022 10h20

Embaixada dos EUA na Ucrânia Foto: EFE/EPA/Sergey Dolzhenko

Os Estados Unidos ordenaram neste domingo que as famílias dos funcionários da sua embaixada na Ucrânia deixassem o país e autorizaram a saída de pessoal não essencial diante da “ameaça contínua de uma ação militar por parte da Rússia”.

O Departamento de Estado afirmou, em um comunicado, que também aconselhava a todos os americanos que estão na Ucrânia a deixarem o país.

– Há relatos de que a Rússia está planejando uma ação militar significativa contra a Ucrânia, e as condições de segurança, particularmente nas fronteiras da Ucrânia, na Crimeia e em áreas do leste da Ucrânia controladas pela Rússia, são “imprevisíveis” e podem “deteriorar-se” sem aviso prévio – advertiu o Departamento de Estado.

O comunicado enfatiza que os americanos devem estar cientes de que a ação militar russa em qualquer lugar na Ucrânia poderá “ter um sério impacto na embaixada dos EUA” e em sua capacidade de fornecer serviços consulares. Por isso, insistiu que os americanos que estão no país “devem sair usando transporte comercial ou qualquer outra opção privada disponível”.

O Departamento de Estado também pediu a todos os americanos que se registrem em seu site para situações de crises como a atual, para poder contatá-los, se necessário.

*EFE

Leia também1 Rússia pode atacar Ucrânia a qualquer momento, dizem EUA
2 EUA dão aval para que países bálticos enviem armas à Ucrânia
3 EUA cancelam 44 voos da China em resposta a Pequim
4 Joe Biden indica advogada como nova embaixadora no Brasil
5 Trump acusa Biden: 'Nosso país está sendo destruído'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.