Leia também:
X Saiba quem é a ex-ginasta apontada como amante de Putin

EUA acusam talibãs após veto à educação de meninas

Porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, apontou que educação é um direito humano essencial

Pleno.News - 23/03/2022 20h31 | atualizado em 24/03/2022 09h39

Talibã tomou o poder em Cabul, capital do Afeganistão Foto: EFE/EPA/STRINGER

Nesta quarta-feira (23), o governo dos Estados Unidos acusou os talibãs de “trair” os compromissos firmados com o povo do Afeganistão e a comunidade internacional por não permitir o acesso de meninas com mais de 11 anos ao ensino secundário.

O porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, expressou em entrevista coletiva “a profunda decepção e condenação” pela decisão dos talibãs de não permitir que meninas com mais de 11 anos voltem às aulas.

– A educação é um direito humano essencial para o crescimento econômico do Afeganistão e sua estabilidade básica. Um país que não permite a participação (na educação) de mais de metade da sua população não é um país que possa alcançar um nível de prosperidade, estabilidade e segurança para o seu povo – argumentou Price.

O representante americano comentou ainda que os talibãs tinham reconhecido anteriormente que todos os cidadãos afegãos têm direito à educação.

– Instamos os talibãs a honrar os compromissos que assumiram perante o seu povo, os compromissos que assumiram perante a comunidade internacional – declarou o porta-voz.

Price alertou que a decisão afetará a capacidade de o governo talibã ganhar legitimidade política e apoio internacional.

Os talibãs mantiveram nesta quarta-feira o fechamento das escolas secundárias para meninas, apesar da promessa dos fundamentalistas de que permitiriam que as adolescentes voltassem às aulas pela primeira vez desde que assumiram o controle do país, em agosto de 2021.

– As escolas para adolescentes entre as classes 7 e 12 (entre 12 e 18 anos de idade) continuam fechadas – disse o porta-voz adjunto dos talibãs para o governo provisório, Inamullah Samangani, à Agência EFE.

As declarações do porta-voz adjunto foram dadas no mesmo dia em que as escolas reabriram no país após as férias de inverno.

O governo talibã tinha anunciado, na semana passada, que todas as meninas poderiam retornar às aulas na reabertura das escolas.

*EFE

Leia também1 Estados Unidos anunciam sanções contra a China
2 Biden afirma que Putin “está encurralado contra a parede”
3 Rússia: Relação com EUA está ameaçada após falas de Biden
4 Nora de Joe Biden está no Rio de Janeiro para evento LGBTQIA+
5 Talibã pede "meios pacíficos" e "diálogo" entre Ucrânia e Rússia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.