Leia também:
X Em discurso, primeiro-ministro do Peru destaca Hitler

Em Israel, ataque a tiros deixa pelo menos 10 pessoas feridas

Até o momento, foram confirmadas duas mortes

Pleno.News - 07/04/2022 17h09 | atualizado em 07/04/2022 18h50

Israel Foto: Pixabay

Nesta quinta-feira (7), pelo menos duas pessoas morreram e dez ficaram feridas em um tiroteio em vários locais do centro de Tel Aviv, em Israel. O criminoso continua foragido e as forças de segurança pedem aos cidadãos que permaneçam trancados em suas casas enquanto continuam com os esforços de busca e captura.

Duas pessoas foram declaradas mortas e quatro dos pelo menos dez feridos estão em estado grave, depois que um criminoso realizou um grave tiroteio em diferentes pontos do centro de Tel Aviv, incluindo um bar, levando caos e pânico na cidade litorânea.

Imagens divulgadas pelos meios de comunicação e redes sociais mostraram pessoas correndo pelas ruas e a polícia tentando pegar o suspeito. Este é o quarto ataque em Israel em pouco mais de duas semanas e aumenta ainda mais as tensões geradas após três ataques de cidadãos árabes-israelenses e de um palestino, que resultaram em 11 mortes em poucos dias.

“Centenas de agentes” e outras forças de segurança como o próprio Exército, estão efetuando buscas exaustivas” pela cidade após o ataque, informou a polícia em comunicado, pedindo à população para que mantenha a calma e “evite a propagação de mensagens e informações que possam gerar mais pânico”.

Após especulações de que poderia haver mais de um suspeito, a imprensa informou que o tiroteio foi cometido por uma única pessoa armada, cuja identidade ainda é desconhecida.

Depois do incidente, as sirenes de ambulâncias e serviços de emergência marcaram a atmosfera no centro de Tel Aviv, enquanto os transeuntes buscavam abrigo e os feridos eram levados para o hospital, onde alguns foram submetidos a cirurgia de emergência.

O tiroteio ocorre após uma recente escalada de tensão na região, depois dos três ataques no espaço de poucos dias em Israel – dois deles reivindicados pelo Estado Islâmico – que resultaram em um dos episódios mais mortíferos no país em questão.

De acordo com a imprensa, as principais autoridades do país, incluindo o primeiro-ministro Naftali Bennett, e o ministro da Defesa, Benny Gantz, estão reunidos para avaliar a situação de segurança e os próximos passos a serem dados.

*EFE

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.