Leia também:
X Suécia proíbe empresas chinesas Huawei e ZTE em sua rede 5G

Bolsonaro sobre ‘lockdown’ na França: “Não consigo entender”

Presidente ressaltou que é preciso "enfrentar" o vírus

Pleno.News - 29/10/2020 12h06 | atualizado em 29/10/2020 12h50

Macron ao lado de Bolsonaro no G20, em junho de 2019 Foto: PR/Clauber Cleber Caetano

Em conversa com apoiadores na noite desta quarta-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro afirmou não entender as recentes ampliações de restrições adotadas na França e Alemanha por conta da covid-19. Bolsonaro reforçou que é preciso “enfrentar” o vírus.

França e Alemanha vivenciam atualmente uma segunda onda de contágio do novo coronavírus. O governo francês anunciou novo confinamento nacional para conter o aumento de casos a partir desta sexta-feira (30) e pelo menos até 1º de dezembro. Já a Alemanha terá uma paralisação parcial.

– Olha, eu não consigo entender uma medida como essa porque tá aí o vírus. Vai ter que enfrentá-lo. Tá de máscara, tudo bem, mas daqui a pouco nada disso vai tá livre desse vírus – disse Bolsonaro para um grupo de pessoas em frente ao Palácio da Alvorada.

O chefe do Executivo reforçou sua defesa contra medidas de isolamento dizendo que desde o início da pandemia alertava que a política do “fica em casa” estava errada. Bolsonaro ressaltou que as medidas de isolamento serviram “só para bagunçar a economia”.

“O objetivo do isolamento social, que tá errado, eu falei que estava errado desde aquele momento, serviu só para bagunçar com economia, e era para fazer com que não houvesse muita contaminação ao mesmo tempo para não saturar hospital”, disse.

Vacina

O presidente voltou a defender que a vacinação, quando um imunizante contra a doença estiver disponível, não seja obrigatória. Ele afirmou, contudo, que uma “vacina boa” terá adesão da população. Na semana passada, o presidente endureceu críticas em relação à vacina chinesa, Coronavac, e sinalizou que mesmo com a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o governo não compraria o imunizante.

– Uma vacina boa o pessoal vai tomar. Agora, obrigar a tomar essa ou aquela, aí começa a cheirar interesses outros, que prefiro não comentar aí – disse.

Na conversa com apoiadores, Bolsonaro repetiu críticas ao desafeto político, governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Doria foi chamado de “lunático” pelo presidente.

*Estadão

Leia também1 Guedes: Covid-19 está descendo e economia está voltando em V
2 Bolsonaro: Doria só não quebrou SP por causa do governo federal
3 Paulistas farão ato contra vacina chinesa e pela saída de Doria
4 Salles nega ter chamado Maia de “Nhonho” e sai do Twitter
5 Suécia proíbe empresas chinesas Huawei e ZTE em sua rede 5G

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.