Leia também:
X Presidente Bolsonaro participa de motociata em Doha, no Catar

Biden veta entrada de presidente e cúpula da Nicarágua nos EUA

Daniel Ortega, a esposa e vice-presidente, Rosario Murillo, e diversos outros membros do governo estão na lista de vetados pelos Estados Unidos

Paulo Moura - 17/11/2021 12h00 | atualizado em 17/11/2021 12h26

Daniel Ortega Foto: EFE/Jorge Torres

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, proibiu a entrada do presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, de sua esposa e vice-presidente, Rosario Murillo, além de diversos ministros e funcionários do país da América Central no território estadunidense. Na decisão, tomada na terça-feira (16), Biden disse que a proibição foi adotada com base em “abusos” do governo de Ortega.

– A repressão e os abusos do governo Ortega e daqueles que o apoiam exigem uma atitude dos Estados Unidos – afirmou Biden.

No poder desde 2007, Ortega obteve, no último dia 7 de novembro, o quarto mandato consecutivo em uma eleição que ficou fortemente marcada pela ausência de seus principais concorrentes, já que sete candidatos da oposição foram detidos e três de seus partidos foram cassados.

– Tomei a decisão, que é do interesse dos Estados Unidos, de restringir e suspender a entrada de membros do governo da Nicarágua, liderado pelo presidente Daniel Ortega, [estando] incluída a sua esposa e vice-presidente, Rosario Murillo, e todos aqueles vinculados a atos que atentam contra as instituições democráticas do país – destacou Biden.

A longa lista de pessoas com acesso proibido aos Estados Unidos inclui legisladores, prefeitos e membros do gabinete de Ortega, acusados de terem “violado os direitos humanos, para reprimir manifestantes pacíficos”, além de vários funcionários do alto escalão das forças de segurança, dos órgãos governamentais, do serviço penitenciário, da Justiça e do Ministério do Interior.

Na segunda-feira (15), o governo dos Estados Unidos já havia estabelecido sanções contra vários nomes do alto escalão do governo nicaraguense em resposta ao que considerou uma “farsa eleitoral” e no que chamou de “mensagem inequívoca” para Ortega e Murillo.

Em 2019, o governo do ex-presidente Donald Trump já havia colocado sanções contra as lideranças nicaraguenses.

Leia também1 Moro anuncia ex-presidente do BC como conselheiro econômico
2 Ex-A Fazenda Liziane Gutierrez é presa nos EUA, afirma site
3 Sem Jair Bolsonaro, PP decide convidar Mourão a se filiar
4 Presidente Bolsonaro participa de motociata em Doha, no Catar
5 Lula: Biografia omite processos do ex-presidente por corrupção

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.