Leia também:
X Migrante nada até Ceuta com garrafas amarradas ao corpo

Biden assina lei para acabar com ‘crimes de ódio’ contra asiáticos

País registrou aumento de casos em 164% no primeiro trimestre deste ano

Pleno.News - 20/05/2021 18h22

Joe Biden, presidente dos EUA Foto: EFE/EPA/KEVIN DIETSCH / POOL

Com o apoio de Democratas e Republicanos, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinou nesta quinta-feira (20) uma lei que visa articular uma resposta federal rápida ao aumento dos crimes de ódio que a população asiática tem sofrido durante a pandemia.

Em um evento da Casa Branca, Biden agradeceu a ambas as partes por se reunirem para aprovar uma lei contra o que ele definiu como “feio veneno que há muito assombra e atormenta esta nação”, referindo-se ao racismo e aos crimes de ódio.

– Minha mensagem a todos aqueles que estão sofrendo é: Nós o vemos. O Congresso já deixou claro, nós o vemos. E estamos empenhados em acabar com o ódio e a discriminação – prometeu o chefe de governo.

A cerimônia contou com a presença de membros de ambos os partidos, que nas últimas semanas deixaram suas cores políticas para trás para aprovar o projeto de lei no Congresso.

Especificamente, a Câmara dos Deputados aprovou a medida nesta semana com 364 votos a favor e 62 contra, todos do Partido Republicano; enquanto no mês passado a iniciativa recebeu apoio quase unânime no Senado, com 94 a 1.

Quem também discursou foi a vice-presidente americana, Kamala Harris, que fez alusão ao aumento das agressões contra asiáticos-americanos, citando vários incidentes de violência, incluindo o tiroteio de março que matou oito pessoas, sendo seis delas, mulheres asiáticas, em Atlanta, na Geórgia.

– Esta violência não surgiu do nada, e nada disso é novidade. Em minha vida, em minhas experiências, vi como o ódio pode invadir nossas comunidades… Vi como ele pode impedir nosso progresso. E já vi como quando as pessoas se unem contra o ódio, nosso país fica mais forte – discursou Kamala.

O objetivo da lei assinada por Biden é facilitar a denúncia de crimes de ódio através de campanhas de informação. Além disso, os documentos necessários para apresentar uma reclamação estarão disponíveis online em vários idiomas. Também será criado um novo cargo no Departamento de Justiça para investigar delitos desse tipo relacionados com a pandemia.

Um estudo da Universidade Estadual da Califórnia em San Bernardino aponta que no primeiro trimestre deste ano houve um aumento de 164% nos crimes de ódio contra asiático-americanos em comparação com o mesmo período do ano passado, pouco antes do começo da crise sanitária.

*EFE

Leia também1 Médico que operou Bolsonaro conta episódio emocionante
2 Idosa é agredida por homem de 39 anos e o manda pro hospital
3 Castro veta 'Escola sem mordaça' após pedidos de deputados
4 Covid: Dimas Covas elogia China por ‘contribuição’ na pandemia
5 Israel e Hamas aprovam cessar-fogo na Faixa de Gaza

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.