Leia também:
X Jair Bolsonaro marca telefonema com presidente da Ucrânia

Após renúncia, Sri Lanka elegerá novo presidente em 20 de julho

Comandante que irá governar o país de forma interina será eleito pelo Parlamento

Pleno.News - 11/07/2022 15h11 | atualizado em 11/07/2022 15h39

População ocupa palácio do governo no Sri Lanka Foto: EFE/Chamila Karunarathne

O Parlamento do Sri Lanka irá eleger um novo presidente no próximo dia 20 para liderar o país de forma interina após a renúncia de Gotabaya Rajapaksa, pressionado pelo protesto de milhares de cidadãos.

Após uma reunião dos partidos, uma vez formalizada a renúncia de Rajapaksa, a Câmara receberá as nomeações em 19 de julho, e no dia seguinte, um novo presidente será eleito. Conforme informações do comunicado do presidente do Parlamento do Sri Lanka, Mahinda Yapa Abeywardena.

Rajapaksa, eleito no final de 2019, anunciou sua renúncia neste sábado (9), com efeitos a partir da próxima quarta-feira (13), após um protesto em massa, impulsionado pela grave crise econômica do país, que terminou com a invasão à sua residência oficial, obrigando sua fuga. Sua renúncia foi confirmada hoje pelo gabinete do primeiro-ministro, Ranil Wickremesinghe.

Embora Wickremesinghe, que ascendeu ao cargo há apenas dois meses, o que o torna o primeiro na linha de sucessão à Presidência, também tenha anunciado sua renúncia no sábado, seu gabinete não informou a formalização dessa decisão até o momento.

O Sri Lanka, atualmente, atravessa sua pior crise econômica desde a independência do império britânico, ocorrida em 1948. Durante meses, o país vem sofrendo uma profunda escassez de medicamentos, alimentos e combustível, causada em parte por dívidas pesadas, políticas governamentais equivocadas e o impacto no turismo devido aos ataques na Páscoa e à pandemia.

A formação de um novo governo é essencial para o país, que está atualmente negociando um programa de resgate com o Fundo Monetário Internacional (FMI) que lhe permitirá restaurar a estabilidade fiscal.

De acordo com a Constituição do Sri Lanka, se tanto a presidência como o gabinete do primeiro-ministro ficarem vagos, o parlamento deve, no prazo de 30 dias, eleger um dos representantes como presidente interino, que pode completar os dois anos de mandato restantes.

Embora vários ministros do governo de Rajapaksa já tenham anunciado sua renúncia, o restante do gabinete concordou que apresentará sua renúncia conjunta assim que as partes conseguirem formar um governo de unidade.

*EFE

Leia também1 Primeiro-ministro do Sri Lanka renuncia após intensos protestos
2 População do Sri Lanka invade casa do presidente, que foge
3 Randolfe vai ao TSE contra Jair Bolsonaro por "discurso de ódio"
4 Míriam acusa Bolsonaro de incitar violência e leva invertida
5 Arthur Lira e outros políticos reagem à violência política

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.