Padre ortodoxo batiza bebê com violência e mãe intervém

O religioso foi punido pela Igreja Ortodoxa russa, da qual é membro

Pleno.News - 14/08/2019 11h28

Batismo na Igreja Ortodoxa causa revolta e afasta padre Foto: Pixabay

Um padre da Igreja Ortodoxa russa de São Petersburgo foi suspenso por um ano após ter chocado fiéis ao realizar um batismo violentamente. Ele submergiu a criança, de 1 ano de idade, diversas vezes na água de forma violenta e segurou no pescoço dela.

Frente ao nítido desespero do bebê, a mãe interveio e tentou tirar a criança dos braços do padre, que se negou. Ao relatar o caso à imprensa, Anastasia Alexeeva, de 24 anos, afirmou que quase pegou fogo, porque suas roupas tocaram nas velas em volta da pia batismal.

Outras pessoas também protestaram e a criança foi devolvida à mãe. Ela se mostrou indignada com o caso e afirmou que o filho está traumatizado.

– Este padre fez tudo para machucar meu filho! Ele viu que era grande para mergulhá-lo na pia batismal e mesmo assim ficou tentando colocá-lo lá. Ele só precisava ter molhado a cabeça do meu filho, mas insistiu em mergulhá-lo e fez isso de forma violenta. O pequenino estava chorando e se contorcendo. Eu estava com medo, corri para ele. Meu filho agora está com medo de tudo, histérico e em pânico – relatou.

Fotiy Necheporenko, o padre afastado, se defendeu e disse que “nada aconteceu”. Sua resposta provocou revolta nos membros da família e da igreja. A mãe também registrou uma denúncia formal contra ele.

– Então o que realmente aconteceu? Nada, e não é minha culpa. Era tudo sobre as emoções alteradas da mãe. Ela é uma pessoa sem experiência na igreja. Ela não estava pronta para batizar – atacou.

LEIA TAMBÉM+ Padre Marcelo Rossi chora ao falar sobre empurrão
+ Meghan e Harry irão batizar filho com água do rio Jordão
+ Nicodemus: "O que falta na igreja é pregação bíblica"


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo