Leia também:
X Foto mostra príncipe Harry em seu trabalho, na Califórnia

Campeão de vacinação, Portugal entra em estado de calamidade

País europeu anunciou estado de calamidade na última quarta-feira (1º)

Pleno.News - 07/12/2021 18h54 | atualizado em 08/12/2021 11h08

Lisboa, Portugal Foto: Pixabay

Segundo informações da AFP, Portugal é o país europeu com a maior porcentagem de cidadãos vacinados. No entanto, lançou uma nova campanha de imunização.

De acordo com a agência EFE, na última quarta-feira (1º) Portugal entrou em estado de calamidade. A medida implica maiores controles de fronteira e nos aeroportos, exigência de testes negativos de Covid-19 para a entrada de pessoas em estabelecimentos noturnos, entre outras medidas.

Na última quarta, autoridades de saúde do país informaram a detecção de 14 casos da variante Ômicron do novo coronavírus.

A suspeita de um novo positivo para a variante, em um hospital localizado no sul de Lisboa, fez com que fosse determinada a interdição, por 24 dias, do serviço de pediatria da unidade, além do isolamento de 28 funcionários e alguns pacientes.

Também no último dia 1º, foram registradas na capital portuguesa longas filas no principal centro de vacinação do país, instalado no Parque das Nações. O local tem capacidade para mais de seis mil pessoas por dia.

O estado de calamidade está abaixo apenas do estado de emergência, que foi utilizado, por exemplo, para decretar confinamentos. A medida ficará em vigor, pelo menos, até 20 de março.

Certificados digitais e vacinação serão constantes no cotidiano da população portuguesa, sendo obrigatória a apresentação desses documentos para o acesso a restaurantes (exceto os de varanda e terraços), pontos turísticos, eventos com assento marcado, academias, cassinos, bingos, entre outros. Para locais como boates e outros pontos de entretenimento noturno, será preciso apresentar o comprovante de vacinação, além de teste negativo de Covid-19.

Portugal também reforçou os controles de fronteira. Até 9 de janeiro será obrigatória a apresentação do certificado de vacinação e de um teste negativo para entrar no país por via aérea.

Leia também1 Bolsonaro: "A Anvisa quer fechar o espaço aéreo de novo, p****"
2 Sinovac vai criar "2ª versão" da CoronaVac contra a Ômicron
3 OMS: Vacinação obrigatória deve ser "último recurso absoluto"
4 Para epidemiologista, Ômicron pode ser um 'presente de Natal'
5 NY irá obrigar vacinação de trabalhadores do setor privado

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.