Leia também:
X Países proíbem voos do Reino Unido para conter variante da Covid

Natal pelo mundo: Conheça as tradições festivas de 5 países

Blogueiro de viagens relata cinco diferentes formas de celebração que vivenciou

Monique Mello - 21/12/2020 12h00

O Natal ao redor do mundo
O Natal pelo mundo Foto: Pixabay

Comer rabanada no Natal e doze uvas no Ano Novo, vestir branco e saltar sete ondinhas no primeiro dia do ano são algumas das tradições das festas de fim de ano no Brasil. Para os brasileiros, esses já são costumes enraizados. Mas, para pessoas de outras culturas, isto pode ser um exemplo do quão exóticos nós podemos ser.

Com a chegada do período festivo, surge uma dúvida: como são as tradições de Natal e de Réveillon em outros países? O blogueiro de viagens Pedro Richardson, do Travel With Pedro, responde.

– Cada lugar é único. Alguns se assemelham ao Brasil nas festividades; outros não passam nem perto. Mas uma coisa é certa: cada um tem seu encanto – afirmou o viajante.

Pedro, que já foi a 110 países e morou em outros seis, prefere visitar os lugares menos conhecidos e menos populares. Ele selecionou para o Pleno.News cinco países com culturas distintas e relata como são as festas de fim de ano em cada um deles.

RÚSSIA
A Rússia é um país cristão ortodoxo e segue o calendário juliano. Os russos celebram o Natal no dia 7 de janeiro, e, para eles, 25 de dezembro é um dia como outro qualquer.

Embora os russos sejam muito religiosos, algumas das tradições natalinas do país provêm da era pré-cristã. Antigamente, na véspera de Natal, mulheres solteiras iam às casas de banho russo (uma espécie de sauna) para consultar uma vidente no local. O motivo era prever se elas se casariam naquele ano.

Os religiosos fazem um jejum de 40 dias que termina no Natal. A véspera do Natal (6 de janeiro) é o último dia de jejum; no dia seguinte, o Natal é celebrado com um banquete com produtos típicos, principalmente legumes em conserva, acompanhado de tortas de carne, champignon e zbití, uma bebida à base de mel e diferentes especiarias.

Com temperaturas muitas vezes na casa dos -20° ou -40° nessa época do ano, muitos russos em cidades menores e vilarejos costumam alternar entre fazer sauna e, em seguida, pular num lago ou rio semicongelado. Dizem que o choque de temperatura faz bem à saúde e revigora o corpo para enfrentar os desafios do novo ano.

A Rússia foi citada por Pedro, quando perguntado sobre o maior choque cultural que ele enfrentou em viagens.

– A Rússia e a Geórgia são países onde as pessoas têm uma resistência muito grande quando tomam álcool […] Já passei o Réveillon com amigos nos dois países, e eles não permitiam que meu copo ficasse vazio nem por dois segundos, por mais que eu dissesse que já não podia mais. Eles estão acostumados a beber muita vodka e tchatcha, enquanto eu mal tomo uma cerveja. O resultado, vocês já podem imaginar…

GEÓRGIA
A Geórgia, que é um dos países preferidos do blogueiro, fica entre a Rússia, a Turquia e o Mar Negro. Lá o Natal também é comemorado no dia 7 de janeiro, mas a data mais importante do período festivo é o Réveillon.

O dia da troca de presentes é 31 de dezembro. As crianças acreditam que nessa data o Vovô de Neve, um senhor de barba branca e roupa branca vem deixar os presentes, bem ao estilo do Papai Noel.

No dia de Natal, uma tradição importante é o Alilo, uma procissão na qual pessoas de diferentes congregações usam uma túnica branca com uma cruz vermelha (a cruz de São Jorge). É comum também ver crianças vestidas de anjo e adultos, de pastores de ovelhas, uma alusão ao nascimento de Jesus num estábulo.

Curiosamente, o país tem duas comemorações de Ano Novo

Tudo na Geórgia termina em comida, e, após o Alilo, as famílias se reúnem em um grande almoço com pratos tradicionais e regado a muito vinho local e tchatcha (também conhecida como vodca de vinho), que são as bebidas tradicionais do país. Aliás, a Geórgia é onde o vinho nasceu, há cerca de 8 mil anos.

Curiosamente, o país tem duas comemorações de Ano Novo. Além do dia 31, tem o “antigo ano novo”, que acontece no dia 14 de janeiro e é uma comemoração do Ano Novo da Igreja Ortodoxa. Porém, as comemorações são mais religiosas e em proporções menores do que as de 31 de dezembro.

Pedro fala sobre a empolgação dos nativos nessas festividades:

– Pela minha experiência, os georgianos são os mais empolgados durante as festas de fim de ano. Imagina um povo que comemora duas passagens de ano! Eles se preparam muito para esse dia e compram muitos fogos de artifícios, que iluminam o céu durante a noite toda. Eu, sendo o único convidado estrangeiro, fui tratado como um rei, já que o georgiano leva a hospitalidade muito a sério.

TURQUIA
– E quem disse que o Natal também não acontece em países muçulmanos? Cerca de 98% da população turca é adepta ao Islã. Embora o Natal não seja necessariamente comemorado pela população, na Turquia as cidades recebem decoração natalina, em especial as grandes avenidas e os shoppings, com direito a muitas luzes, árvore de Natal e até Papai Noel – explica.

A pequena população cristã do país é dividida entre católicos e ortodoxos de diferentes denominações. Cada igreja comemora a data seguindo seu calendário. Em Istambul, por exemplo, a Igreja de Santo Antônio celebra a Missa do Galo no dia 24 de dezembro.

FILIPINAS
As Filipinas são um país asiático muito católico. Em se tratando de Natal, os filipinos são os que mais aproveitam as festividades. Isso porque começam a se preparar em setembro. Pedro esteve no país entre setembro e outubro e notou que os shoppings e muitas casas já tinham decoração de Natal, com direito a presépio e neve artificial – já que o país é tão quente quanto o Brasil.

Uma tradição filipina é o ritual do mano no Natal

Natais longos à parte, uma tradição filipina é o ritual do mano no Natal. No país, as famílias se reúnem, e as crianças são obrigadas a cumprimentar os avós beijando-os ou colocando a testa sobre a mão deles (é como se pedia a bênção a um parente mais velho antigamente, no Brasil).

O pequeno ritual é seguido pelo ang pao, a entrega de envelopes vermelhos ou azuis que os avós dão de presente aos netos. No envelope, eles colocam dinheiro, e a quantia pode ir desde um valor irrisório a algo mais substancial. A intenção é que a criança possa comprar o próprio presente que deseja.

Os filipinos terminam as comemorações de Natal no dia 6 de janeiro, dia dos Santos Reis. Ao contrário de algumas regiões do Brasil, que comemoram a data como uma festa mais pagã, nas Filipinas a celebração é comandada pela igreja com muita missa e oração.

ALEMANHA
Para Pedro, entre os países ocidentais, a Alemanha é um dos mais interessantes na época do Natal. As comemorações começam já no dia 5 de dezembro, com o dia de São Nicolau. Na véspera, as crianças limpam os sapatinhos e os deixam do lado de fora de casa. No dia seguinte, encontram os sapatos cheios de doces “deixados” por São Nicolau.

A Alemanha também criou o calendário de advento: são 28 janelinhas (para quatro semanas), sendo a última aberta no dia de Natal. As crianças abrem uma janelinha todos os dias, para revelar um desenho, uma poesia ou até mesmo docinhos e pequenos presentes natalinos. Tradicionalmente, cada família faz o seu calendário. Mas, hoje em dia, é comum encontrá-los à venda nas lojas.

Em famílias mais numerosas, os membros se reúnem na casa dos avós no dia 24 de dezembro, para comer doces típicos da época – em geral biscoitos e suspiros – enquanto as crianças cantam músicas natalinas ao redor da árvore.

Por fim, a Alemanha também inventou os mercados natalinos, que se espalharam pela Europa e hoje já estão em outras partes do mundo. Nos mercados, são vendidos produtos artesanais, acessórios e decoração para a casa. Além disso, no frio dos mercados natalinos, é possível beber o Glühwein (vinho quente com canela e outras especiarias), uma das melhores invenções alemãs para se aquecer nas noites frias que precedem o Natal.

Além da Geórgia, a melhor festa natalina para Pedro é na Alemanha, em grande parte pelo imaginário ocidental de filmes de Natal que se passam na neve.

– O Natal na Alemanha, assim como na Áustria e na Suíça, é aquele com que todo mundo sonha: com neve, muitos mercados natalinos decorados como casinhas de contos de fadas e com barraquinhas vendendo comidas típicas, doces, excelente chocolate, além do vinho quente, meu preferido. As tradições na Alemanha também são muito ricas. Vi isso principalmente quando passei Natal com amigos que tinham crianças pequenas. Ver a família inteira ao redor da mesa, fogo na lareira, e as crianças cantando músicas natalinas ao lado da árvore parecia coisa de filme – conta.

Pedro Richardson em viagem à Rússia
Pedro Richardson em viagem à Rússia Foto: Reprodução/MF Press

Leia também1 Confira as árvores de Natal mais bonitas do mundo!
2 Prefeitura do Rio cancela tradicional festa de réveillon
3 Concursos de presépio: Você sabia que existem no Brasil?
4 Natal: Cuidados a serem tomados em reuniões e ceias
5 Natal: Conheça as árvores mais inusitadas e criativas!

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.