Leia também:
X Morre, aos 65 anos, o presidente do Parlamento Europeu

Mulher dá nome de Lúcifer ao filho: ‘Não sou religiosa’

Caso aconteceu no Reino Unido

Pleno.News - 11/01/2022 16h40 | atualizado em 12/01/2022 14h20

Mãe escolhe Lúcifer para ser o nome de seu filho (foto ilustrativa) Foto: Pixabay

Em Plymouth, no Reino Unido, uma mulher escolheu o nome Lúcifer para colocar em seu filho recém-nascido. Josie King, de 27 anos, contou em um programa da BBC que sua escolha foi bastante criticada pelas pessoas.

Já ao tabloide britânico Devon Live, Josie contou que também tem uma filha de 6 anos chamada Talayla-May Barbara Elaine Kayleigh Kelsey Jade King. Ela disse que não se inspirou no diabo, que apenas se agradou de um nome incomum. As informações são do portal UOL.

– Não havia nenhuma inspiração para o nome. Eu olhei muitos livros de bebês e gosto de nomes incomuns. Não gosto de nomes padrão – falou.

Ela contou ainda que, quando pensava que seu segundo filho seria uma menina, pensou em escolher o nome Narnia.

– Antes, eu acreditei que estava esperando uma menina. E resolvi chamá-la de Narnia. Mas, depois, descobri que estava grávida de um menino – revelou.

As escolhas da jovem mãe são baseadas em suas afinidades culturais.

– Prefiro nomes inspirados em coisas [de] que gosto ou simplesmente porque os acho bonitos, mas isso pode não ser certo para outras pessoas. Quando escolhi o nome dele [Lúcifer], sabia que as pessoas não iriam gostar, mas é algo que não depende delas.

Familiares também não se agradaram do nome.

– Eu tinha alguns membros da família dizendo “você não pode chamá-lo assim”, mas eu disse que não sou religiosa. Eles sabem como eu sou e que eu gosto de ser única.

Josie disse que não se arrepende de ter escolhido o nome Lúcifer.

– Gosto do nome porque gosto. Não acho que represente o diabo, aos meus olhos. Se o diabo fosse chamado de outra coisa, as pessoas também não gostariam desse nome. É sobre a mentalidade das pessoas com o nome. As pessoas sempre me perguntam o porquê, mas eu digo “por que não?” O nome não é diferente de Sarah ou Dom – defende.

Leia também1 'Ômicron pode indicar fim da pandemia', diz imunologista
2 Morre, aos 65 anos, o presidente do Parlamento Europeu
3 Argentina fala em tratar Covid como uma "gripe comum"
4 Bispo italiano proíbe padres não vacinados de darem a hóstia
5 Austrália investiga se Djokovic teria mentido em formulário

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.