Leia também:
X Ícone do rock russo é multado por criticar presidente Putin

Mortes suspeitas de 5 bebês em hospital comovem a Argentina

Nesta terça-feira, mães e familiares fizeram manifestação em frente a um hospital, em Córdoba

Pleno.News - 16/08/2022 18h51 | atualizado em 16/08/2022 18h58

Morte suspeita de cinco bebês em hospital comove a Argentina (Foto ilustrativa) Foto: Pixabay

Nesta terça-feira (16), mães e familiares de bebês que morreram de forma suspeita no Hospital Materno Neonatal da província argentina de Córdoba se manifestaram. Elas exigiram explicações em frente à instituição onde supostamente ocorreram os fatos que chocaram a sociedade local.

O procurador do caso, Raúl Garzón, está investigando as mortes de pelo menos cinco bebês que ocorreram entre o final de março e junho deste ano. No caso, não se descarta a negligência ou intencionalidade.

Os primeiros alertas foram feitos pelas autoridades hospitalares, que relataram duas mortes nas quais encontraram inconsistências. A Secretaria de Saúde de Córdoba informou que as autoridades já foram afastadas preventivamente de seus cargos.

Um cidadão informou à Justiça que havia mais mortes suspeitas, segundo explicou o procurador à imprensa.

Atualmente, o caso está em sigilo sumário, de acordo o governo de Córdoba. O Ministério Público aguarda a avaliação médica dos antecedentes. O serviço de saúde do Hospital Materno Neonatal está se desenvolvendo normalmente.

O governo de Córdoba foi constituído como demandante e se colocou “totalmente disponível” para fornecer qualquer elemento exigido pelo Ministério Público enquanto presta assistência de acompanhamento aos familiares, conforme noticiado no último domingo (14).

Vanesa Cáceres, mãe de um bebê que morreu em 18 de março, considerou “uma zombaria” que o governo provincial se torne demandante da ação.

– Isso nos deixa muito desamparados porque eles são um daqueles que têm que dar explicações – disse aos prantos à emissora Eldoce.tv.

Ela deu declarações ao participar de uma marcha em frente ao hospital.

Por ter sido o primeiro caso, Vanesa inicialmente acreditava que tinha se tratado de “uma desgraça”. No entanto, ela ressaltou que “as mortes de outros bebês poderiam ter sido evitadas”.

Na manifestação desta terça-feira, os familiares carregavam cartazes que diziam “Justiça e verdade”, “Queremos respostas”, “Justiça para todos os anjinhos”, “Não ao silêncio cúmplice”.

– Devíamos ter saído daqui com nossos filhos – lamentou Vanesa.

*EFE

Leia também1 Com peronismo, pobreza cresce e Argentina vive caos econômico
2 Ministério argentino oficializa gênero neutro em documentos
3 Argentina faz troca e terá 3° ministro da Economia em 1 mês
4 Argentina prepara "câmbio diferenciado" para turistas
5 Argentina reconhece "escassez específica" de produtos

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.