Leia também:
X Bombeiro descobre que mortos em incêndio são a sua família

Morre menino em coma por 4 meses após desafio do TikTok

Família travou batalha judicial contra hospital no Reino unido, para que Archie Battersbee continuasse com suporte à vida

Monique Mello - 06/08/2022 13h32 | atualizado em 08/08/2022 11h12

Archie Battersbee e sua mãe, Hollie Dance Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

A família de Archie Battersbee, que ficou em coma após realizar um desafio no TikTok, confirmou neste sábado (6), a morte do menino após uma intensa batalha judicial no Reino Unido para tentar mantê-lo em tratamento de suporte à vida. O menino de 12 anos ficou quatro meses em coma e morreu às 12h15 do horário de Londres (8h15 de Brasília), cerca de duas horas depois que o hospital começou a retirar o tratamento.

Os tribunais britânicos rejeitaram o pedido da família de transferir Archie para uma instituição onde pudesse morrer “naturalmente” como desejavam, e o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos recusou-se pela segunda vez a intervir no caso.

– Ele lutou até o fim. Sou a mãe mais orgulhosa do mundo – disse a mãe de Archie, Hollie Dance, chorando do lado de fora do hospital.

O menino sofreu dano cerebral severo após tentar um desafio do Tik Tok, e os médicos recomendaram o desligamento dos aparelhos de suporte. Os cuidados de Archie tornaram-se objeto de semanas de discussões legais, enquanto seus pais tentavam convencer o hospital a continuar os tratamentos de manutenção da vida, enquanto os médicos argumentavam que não havia chance de recuperação.

Decisões anteriores da Justiça britânica concordaram com a recomendação médica, mas estenderam o prazo para permitir que os pais entrassem com novos recursos. Durante o julgamento, Paul Battersbee, pai de Archie, passou mal e precisou ser levado para o hospital.

A família pediu permissão para transferir Archie para um hospital psiquiátrico depois que os tribunais britânicos decidiram que era do seu interesse encerrar o tratamento. O hospital disse que a condição de Archie era tão instável que movê-lo aceleraria sua morte.

Nesta sexta-feira (5), a juíza do Supremo Tribunal Lucy Theis rejeitou o pedido da família, dizendo que Archie deveria permanecer no hospital enquanto o tratamento fosse retirado.

– Volto para onde comecei, reconhecendo a enormidade do que está por vir para os pais de Archie e a família. Seu amor incondicional e dedicação a Archie é um fio de ouro que percorre este caso – escreveu a juíza em sua decisão.

– Espero que agora Archie possa ter a oportunidade de morrer em circunstâncias pacíficas, com a família que significou tanto para ele quanto ele claramente significa para eles – prosseguiu.

A disputa é o mais recente caso do Reino Unido que coloca o julgamento dos médicos contra os desejos das famílias. De acordo com a lei britânica, é comum que os tribunais intervenham quando pais e médicos discordam sobre o tratamento médico de uma criança. Nesses casos, o melhor interesse da criança tem primazia sobre o direito dos pais de decidir o que eles acreditam ser o melhor para seus filhos.

Archie Battersbee foi encontrado pela mãe gravemente ferido e com um objeto em volta do pescoço, na casa da família, em 7 de abril, de acordo com os documentos da Corte. O menino foi levado para o hospital, onde os médicos constataram o dano cerebral severo.

Hollie Dance disse acreditar que o menino sufocou enquanto tentava um desafio online viral, conhecido como Blackout Challenge. Outras crianças morreram ou se feriram gravemente após assistirem ao desafio no Tik Tok, segundo um processo aberto em maio pela mãe de Nylah Anderson. A garota de 10 anos foi encontrada pela mãe pendurada no closet, quase morta, em dezembro do ano passado, na cidade de Chester, Pensilvânia (EUA). Conhecida como uma criança divertida, Nylah morreu em um hospital cinco dias depois.

No processo, ainda são citadas quatro mortes de crianças entre 10 e 14 anos, de diferentes lugares no mundo. Assim como Nylah, Archie Batersbee era um garoto brilhante e que gerava um impacto por onde passava, segundo sua família.

Em entrevista ao Washington Post na época do processo de Nylah, um porta-voz do Tik Tok afirmou que o “desafio perturbador é anterior à plataforma e nunca foi uma tendência do TikTok”.

*AE

Leia também1 Bombeiro descobre que mortos em incêndio são a sua família
2 Atriz Anne Heche sofre grave acidente em Los Angeles
3 Brasileiro é preso com drogas em Bali, na Indonésia
4 Filhos querem que Cid faça teste de aptidão mental, diz site
5 Susana Vieira é internada para tratar sequelas da Covid-19

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.