Leia também:
X Ministro da Economia argentino se reunirá com papa Francisco

Meganavio é apreendido, e Egito impõe multa de R$ 5,7 bilhões

A taxa considera danos ao canal, perdas financeiras e custos em equipamentos e materiais para desencalhar o navio

Pierre Borges - 13/04/2021 16h16 | atualizado em 13/04/2021 16h34

Meganavio Ever Given ficou encalhado no Canal de Suez por quase uma semana Foto: EFE/EPA/MAXAR TECHNOLOGIES

O meganavio Ever Given, que ficou encalhado no Canal de Suez por quase uma semana, teve sua rota de novo interrompida, dessa vez após ser apreendido pelas autoridades egípcias, que exigem o pagamento de uma multa de 1 bilhão de dólares (R$ 5,7 bilhões de reais) para liberar a embarcação.

– O navio permanecerá aqui até que uma investigação seja concluída e a indenização seja paga – disse Osama Rabie, presidente da Autoridade do Canal de Suez (ACS), à televisão estatal egípcia.

Rabie disse que espera um acordo rápido e garantiu que, “no momento em que concordarem com a compensação, o navio poderá se mover”. Por enquanto, o valor da multa ainda é uma estimativa que ainda será calculada e pode variar.

A conta levará em consideração os danos causados à hidrovia durante a drenagem, as perdas de taxas de uso do canal, pois diversos navios desviaram a rota, e os custos em equipamentos e materiais para desencalhar o navio.

– É um direito que o Egito tem – afirmou Rabie.

A empresa responsável pelo cargueiro, a japonesa Shoei Kisen, disse que não recebeu nenhuma reclamação oficial ou ação legal pelo bloqueio causado pelo incidente até o momento, mas confirmou que está negociando com as autoridades do canal.

Embora a causa do encalhamento tenha sido inicialmente atribuída a ventos fortes, uma investigação está em curso para verificar se houve erros técnicos ou humanos, teoria defendida pelo presidente da ACS.

– O canal nunca foi fechado devido ao mau tempo – disse Rabie, que também negou que o tamanho do navio fosse a causa, pois “cargueiros ainda maiores” cruzam aquele trecho.

O canal de Suez é uma das principais rotas econômicas do mundo. Estima-se que 12% do comércio mundial passem por ele. A estagnação do canal, causada pelo Ever Given, trouxe uma série de consequências econômicas que afetou o bolso de milhões de pessoas.

Segundo Osama Rabie, o encalhe do cargueiro teve grande impacto nessa rota comercial, custando entre 14 e 15 milhões de dólares (cerca de R$ 80 milhões) a cada dia de bloqueio.

Antes da pandemia, as passagens pelo Canal de Suez contribuíam com 2% do PIB do Egito, segundo a agência de classificação de crédito Moody’s.

Leia também1 Ministro da Economia argentino se reunirá com papa Francisco
2 CPI da Covid: Pacheco dá 10 dias para líderes indicarem membros
3 STF dá 1 mês para Anvisa avaliar pedido do MA sobre Sputnik V
4 Grupo que falsificava carteira de habilitação da Venezuela é preso
5 Tropas americanas deixarão o Afeganistão até setembro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.